Água – um bem imprescindível à vida

Dia Mundial da Água é comemorado na busca por formar uma população mundial mais consciente sobre o uso racional e importância das fontes hídricas no contexto urbano.     _

Cristiane Cunda cris@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Ela mata a sede, é utilizada para lavar roupas, limpar utensílios e ainda é matéria prima no preparo de alimentos e produtos variados. Desde o momento em que acordamos, precisamos da água para nossas atividades, seja para um banho ou o preparo de um café. O que é indiscutível é a importância dela em nossas vidas.

Para lembrar e alertar a população de todo o planeta sobre o uso racional deste bem tão precioso e imprescindível à vida, no dia 22 de março comemora-se o Dia Mundial da Água, por recomendação da Organização das Nações Unidas – ONU através da resolução A/RES/47/193 de 22 de Fevereiro de 1993.

Neste ano, o tema é “Água para Cidades: Respondendo ao Desafio Urbano”, em um alerta aos governos, comunidades e cidadãos sobre a importância das fontes hídricas no contexto urbano e o papel das pessoas na preservação das mesmas. De acordo com a ONU, pela primeira vez na história mais pessoas vivem nas cidades que na zona rural, considerando a população mundial.

A degradação de rios, lagos e arroios é um dos principais problemas ambientais do Brasil, especialmente no que tange os recursos hídricos urbanos, que afetam diretamente a qualidade de vida das comunidades.

Previsões para a situação

da água no mundo

Atualmente cerca de 1,1 bilhão de pessoas não têm acesso à água potável. De acordo com a ONU, se os padrões de consumo de água se mantiverem iguais aos atuais, em 2050 mais de 45% da população mundial não poderá contar com a porção mínima individual de água para as necessidades básicas.

A projeção indica um agravamento significativo quando a população mundial atingir cerca de 10 bilhões de habitantes. As mudanças climáticas poderão acarretar alterações expressivas dos padrões atuais de distribuição de chuvas nos continentes.

Ainda deve ser considerada a previsão de que, em 2025, 2/3 da população mundial viverá nas cidades. Isto se agrava quando se considera que as maiores taxas de crescimento ocorrerão nos países pobres em desenvolvimento.

 

Com informações do site diamundialdaagua.net, SOS Rio dos Sinos e Instituo Martim Pescador

FOTO: reprodução

Compartilhar

Índios do Xingu querem entregar manifesto a Dilma nesta terça-feira

Avançar »

Novo Hamburgo: Município inicia a campanha de imunização contra aftosa

sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*