• Visualizações 509

Juros sobre crédito para pessoa física registrados em dezembro são os menores desde 1995

Redução da taxa básica de juros e queda do IOF nas operações de crédito contribuíram para diminuição das taxas.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A taxa média de juros cobrados dos consumidores nos financiamentos foi, em dezembro, de 6,58% ao mês, ou 114,84% ao ano, o menor nível desde 1995. O levantamento foi divulgado nesta segunda-feira, dia 16, pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade – Anefac.

As medidas que o Banco Central e o Ministério da Fazenda vêm promovendo para incentivar o consumo teriam causado a queda de cinco das seis linhas voltadas para a pessoa física que foram pesquisadas. As mais importantes nesse sentido, para a Anefac, teriam sido a última redução da taxa básica de juros da economia, a Selic (que, em novembro, caiu de 11,5% para 11% ao ano), e a queda do Imposto sobre Operações Financeiras – IOF.

Os juros cobrados nos financiamentos feitos diretamente pelas lojas caíram de 5,46% ao mês para 5,36% mensais. A taxa do cheque especial teve queda de 8,41% para 8,36% ao mês; a do Crédito Direto ao Consumidor, oferecido pelos bancos, de 2,20% para 2,18% ao mês.

Caíram também os juros cobrados no empréstimo pessoal concedido pelos bancos (de 4,39% para 4,21%) e do empréstimo pessoal concedido pelas financeiras (8,88% para 8,66%). No caso do cartão de crédito, a taxa se manteve estável, na comparação com novembro, em 10,69%. É a mesma taxa cobrada desde dezembro de 2010.

EMPRESAS – Entre os juros cobrados das empresas, todas as três linhas de crédito pesquisadas tiveram redução na taxa. A taxa de juros média geral para pessoa jurídica caiu de 3,98% ao mês (59,92% ao ano) em novembro de 2011 para 3,87% ao mês (57,72% ao ano) em dezembro. É a menor taxa média de juros registrada desde fevereiro de 2011.

Informações de portal UOL

FOTO: ilustrativa

Compartilhar

Índice que reajusta aluguel sobe 5,1% no ano

Avançar »

Inflação medida pelo IPC-S sobe em seis de sete capitais pesquisadas

sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*