IBGE aponta a menor taxa de desemprego para agosto desde 2002

A taxa apontada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatítisca – IBGE é de 6% no mês de agosto e mantem o número de 22,6 milhões de brasileiros ocupados.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Segundo o IBGE informou nesta quarta-feira, dia 22, a taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do Brasil ficou em 6%. A população desocupada diminuiu em relação ao ano passado e o número de trabalhadores com carteira assinada é estável.

O resultado tem a mesma taxa do mês passado, julho, mas é o menor para agosto desde o início da Pesquisa Mensal de Emprego – PME, que começou em 2002. Em relação ao mesmo período do ano passado, quando a taxa ficou em 6,7%, houve queda de 0,7 ponto percentual. A pesquisa é realizada nas regiões metropolitanas de Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

A população desocupada está em um total de 1,4 milhão de pessoas neste mês e ficou estável na comparação com julho. Em relação a agosto de 2010 houve queda de 10%, com 160 mil pessoas a menos em busca de emprego este ano. A população ocupada não apresentou alteração na passagem de julho para agosto, ficando em 22,6 milhões. Em relação ao mesmo período do ano passado, teve um aumento de 2,2%, o que representa 448 mil pessoas a mais ocupando vagas no mercado de trabalho.

A pesquisa também revela a estabilidade no número de trabalhadores com carteira assinada de julho para agosto, permanecendo em 11 milhões de pessoas. De 2010 para este ano, houve o aumento de 7,5% com criação de 746 mil postos de trabalho formal no período. A média do rendimento dos trabalhadores ocupados subiu 0,5% de julho para agosto, e o valor estimado era de R$ 1.629,40. Em relação ao mesmo período do ano passado, o poder de compra dos trabalhadores ocupados cresceu em 3,2%.

Informações de Agência Brasil

FOTO: ilustrativa

Compartilhar

Asserttem prevê a abertura de 147 mil vagas temporárias no fim do ano

Avançar »

Estimativa para inflação sobe para 6,52%, a sexta alta seguida

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*