Asserttem prevê a abertura de 147 mil vagas temporárias no fim do ano

28% das vagas devem ser preenchidas por jovens no primeiro emprego e 42 mil brasileiros podem ser efetivados e ter carteira assinada.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário – Asserttem, até dezembro deste ano irão abrir 147 mil vagas temporárias de emprego no Brasil. Jovens no primeiro emprego devem preencher 28% vagas e 29% dos contratos podem virar emprego fixo, tendo 42 mil brasileiros com carteira assinada. O número é 5% a mais que no mesmo período de 2010.

“A expectativa é que tenhamos 9% mais efetivações do que no Natal passado”, acredita o presidente da Asserttem, Vander Morales. Para ele, a justificativa do crescimento no setor é a estabilidade econômica do país e o aumento da renda dos brasileiros. “O poder de consumo das famílias tende a aumentar nesta época do ano. Deverão ser injetados cerca de R$ 110 bilhões na economia”, completa Vander, que afirma que o pagamento do 13º salário ajuda no bom desempenho da indústria no final do ano.

As contratações temporárias, que ocupam 70% destas 147 mil vagas, devem ser feitas pelo comércio. E a faixa etária entre 18 e 39 anos tem chances maiores de ocupar as vagas, cerca de 65% delas. As funções que mais abrem vagas são para atendimento, Papai Noel, vendedor, operador de telemarketing, promotor de vendas, embalador, estoquista, etiquetador, analista de crédito, fiscal de caixa, repositor e fiscal de loja. Os segmentos que mais demandam mão de obra adicional são de supermercados, vestuário, calçados, perfumaria e eletrodomésticos.

As regiões que mais precisam de empregados são a região Sudeste com 75.264 vagas. A região Nordeste precisa de 28.739 pessoas e a região Sul quer 26.460 funcionários. As regiões que menos abrem vagas são a região Centro-Oeste com 9.379 oportunidades e Norte com 7.071. Para ocupar as vagas, os candidatos precisam ter o 1º grau escolar completo, facilidade de comunicação, facilidade de trabalhar em equipe e simpatia. “A remuneração média será 9,5% maior em relação a 2010, ficando entre R$ 690 e R$ 996, com direito a benefícios como vale-transporte e vale-refeição”, afirmou Jismália de Oliveira Alves, diretora de Comunicação da Asserttem.

As indústrias de bens de consumo, como alimentos, bebidas, brinquedos, eletrônicos, vestuário e papel fazem parte de 30% das contratações temporárias e as mulheres ocuparão 35% das vagas. A remuneração deve aumentar em 16% em relação ao ano passado, ficando entre R$ 920 e R$ 1,3 mil. “O diferencial ficará por conta da qualificação técnica do candidato em áreas como automação industrial, eletrotécnica, mecatrônica, química, informática, segurança do trabalho, administração e secretariado”, prevê Jismália, que acredita que o 2º grau completo será cobrado.

Informações de portal G1

FOTO: Ilustrativa / gettyimages

Compartilhar

Número de criação de empregos formais cai 36,3% em relação a agosto de 2011

Avançar »

IBGE aponta a menor taxa de desemprego para agosto desde 2002

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*