Juros cobrados pelos bancos atingem maior taxa em dois anos

Técnicos do Procon de São Paulo afirmam que resultado é tradução das medidas do governo para segurar a expansão do crédito e a inflação.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A taxa média de juro cobrada pelos bancos nas operações de empréstimo para pessoa física atingiu em maio deste ano o maior patamar desde abril de 2009, de acordo com levantamento da Fundação Procon-SP.

As instituições financeiras cobraram um juro médio de 5,60% ao mês no empréstimo pessoal, maior nível desde os 5,74% de 25 meses atrás. “Os esforços do governo para segurar a expansão do crédito e a inflação já estão se traduzindo em taxas de juros mais altas, principalmente para os consumidores”, afirmam em nota os técnicos do Procon-SP.

Eles afirmam que o momento não é oportuno para realizar financiamentos ou pedir empréstimos pessoais. Além das taxas para empréstimo à pessoa física, os juros em cheque especial também aumentaram em maio, atingindo 9,47%.

O Procon-SP afirmam que a taxa voltou ao mesmo patamar da praticada no segundo trimestre de 2003, “quando o país vivia uma piora das expectativas inflacionárias, fruto de incertezas na condução da política monetária e de uma conjuntura internacional desfavorável.”

A pesquisa foi realizada no dia 04 de maio e envolveu as seguintes instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú Unibanco, Safra e Santander. O Procon coletou as taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais. Para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias.

No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, as altas dos juros – tanto para empréstimo pessoal como para cheque especial – superam os aumentos acumulados em todo o ano passado. De janeiro a dezembro de 2010, o juro médio cobrado pelos bancos às pessoas físicas acumulou 0,10 ponto percentual, enquanto que nos primeiros meses de 2011 a alta acumulada já é de 0,33%. No caso do cheque especial, o aumento este ano é de 0,35 ponto percentual, contra 0,34 ponto percentual dos 12 meses do ano passado.

A taxa média dos bancos pesquisados subiu 0,11 ponto percentual em maio, em relação ao mês anterior. Considerando o juro mensal de maio (5,60%), a taxa equivalente para todo o ano é de 92,39%. HSBC, Santander, Itaú Unibanco e Bradesco elevaram suas taxas em maio deste ano, enquanto o Banco do Brasil reduziu e os demais mantiveram.

Já o juro médio do cheque especial subiu 0,64 ponto percentual, para de 9,47% ao mês (correspondente a 196,22% ao ano). Caixa Econômica Federal, HSBC, Santander e Bradesco elevaram suas taxas. Os demais mantiveram o mesmo nível de abril.

Informações de portal UOL

FOTO: ilustrativa

Compartilhar

IBGE aponta crescimento de 1,2% das vendas no varejo

Avançar »

Demanda de empresas por crédito cai em abril

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*