Reajustes salariais pressionam inflação na construção civil, mostra FGV

Desde abril do ano passado, os custos de mão de obra subiram em média 8,74%, acima da prévia da inflação oficial.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado – INCC-M atingiu 0,75% em abril, bem acima do resultado apurado em março (0,44%). No acumulado do ano, foi constatada alta de 1,96% e, nos últimos 12 meses, de 7,01%.

A taxa é medida pelo Instituto Brasileiro de Economia – Ibre, da Fundação Getulio Vargas – FGV. A elevação em abril foi puxada pela mão de obra, cuja taxa passou de 0,27% para 1,16%. Os aumentos mais expressivos foram verificados em Salvador (5,83%) e no Rio de Janeiro (5,10%), por causa dos reajustes salariais em função da data-base.

Desde abril do ano passado, os custos de mão de obra subiram em média 8,74%, acima da prévia da inflação oficial – o Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 – IPCA-15, que alcançou 6,44% no período.

Já os materiais, equipamentos e serviços tiveram variação de 0,36% em abril, abaixo da medição anterior (0,60%). Os itens que tiveram um peso maior foram os componentes e peças para as instalações elétricas e hidráulicas, que, na média, ficaram 0,91% mais caros ante uma variação de -0,0,1%.No acumulado de 12 meses, a taxa aumentou 8,13%. Analisadas separadamente, as instalações elétricas tiveram elevação de 1,30 no mês e de 15,79% no período de um ano.

Informações de Agência Brasil

FOTO: ilustrativa / GettyImages

Compartilhar

“Todas as nossas atenções estão voltadas para o combate acirrado da inflação”, diz Dilma

Avançar »

Índice de Preços ao Consumidor sobe 6,05% em 12 meses

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*