• Visualizações 617

Governador Tarso Genro sanciona novo mínimo regional

Valor passa a valer a partir de fevereiro. Reajuste de 12,72% eleva primeira faixa salarial a R$ 868 mensais e cria nova faixa, de R$ 1,1 mil.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O salário mínimo passará por alterações no Rio Grande do Sul e a partir de fevereiro os gaúchos poderão contar com uma remuneração um pouco maior. Isto porque o governador Tarso Genro aprovou nesta quinta-feira, dia 16, o reajuste de 12,72% do salário mínimo regional.

Com a aprovação a faixa I passa de R$ 770 para R$ 868. Também será criada uma nova faixa, cujo valor de R$ 1,1 mil. A estimativa é de que este montante injete cerca de R$ 1,3 bilhão na economia do Rio Grande do Sul.

O novo piso proposto pelo Executivo no dia 26 de dezembro foi aprovado por unanimidade pela Assembleia. O Executivo sancionou também duas emendas de deputados, entre as novidades, está a inserção de uma nova faixa para os egressos do Ensino Médio Politécnico e a determinação da remuneração mínima dos servidores públicos da administração direta.

Confira os valores

Faixa 1: RS 868,00

Válida para as áreas da agricultura e na pecuária, indústrias extrativas, empresas pesqueiras, empregados domésticos, turismo e hospitalidade, construção civil, indústrias de instrumentos musicais e de brinquedos, estabelecimentos hípicos, motoboys, empregados em garagens e estacionamentos, empregados em hotéis, restaurantes, bares e similares, trabalhadores marítimos do 1º grupo de aquaviários que trabalham nas seções de convés, máquinas, câmara e saúde, em todos os níveis (I, II, III, IV, V, VI, VII e superiores)

Faixa 2: R$ 887,98

Estão incluídas as áreas das  indústrias do vestuário e do calçado, indústrias de fiação e de tecelagem, indústrias de artefatos de couro, indústrias de papel, papelão e cortiça, empresas distribuidoras e vendedoras de jornais e revistas e empregados em bancas, vendedores ambulantes de jornais e revistas, empregados da administração das empresas proprietárias de jornais e revistas, empregados em estabelecimentos de serviços de saúde, empregados em serviços de asseio, conservação e limpeza, e trabalhadores em call-center, TV a cabo e similares

Faixa 3: R$ 908,12

Quem entra: indústrias de móveis, químicas e farmacêuticas, cinematográficas, alimentação, empregados no comércio em geral, empregados de agentes autônomos do comércio, em exibidoras e distribuidoras cinematográficas, movimentadores de mercadorias em geral, trabalhadores no comércio armazenador e auxiliares de administração de armazéns gerais

Faixa 4: R$ 943,98

Para as indústrias metalúrgicas, mecânicas e de material elétrico, indústrias gráficas, de vidros, cristais, espelhos, cerâmica de louça e porcelana, indústrias de artefatos de borracha, em empresas de seguros privados e capitalização e de agentes autônomos de seguros privados e de crédito, em edifícios e condomínios residenciais, comerciais e similares, nas indústrias de joalheria e lapidação de pedras preciosas, auxiliares em administração escolar (empregados de estabelecimentos de ensino), empregados em entidades culturais, recreativas, de assistência social, de orientação e formação profissional, marinheiros fluviais de convés, marinheiros fluviais de máquinas, cozinheiros fluviais, taifeiros fluviais, empregados em escritórios de agências de navegação, empregados em terminais de contêineres e mestres e encarregados em estaleiros e vigilantes

Faixa 5: R$ 1.100,00

Quem entra: técnicos de nível médio, tanto em cursos integrados, quanto subsequentes ou concomitantes

Informações de Correio do Povo e Zero Hora

FOTO: reprodução / Andre Ávila

Compartilhar

Mega-Sena acumula e deve pagar R$ 15 milhões neste sábado

Avançar »

Inmetro regulamenta uso de cadeirinhas fixadas no banco de trás dos carros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*