• Visualizações 839

Vídeo feito por jovem que morreu na Kiss foi usado em perícia

Gravação feita com telefone celular por uma vítima da tragédia de Santa Maria integra o trabalho do Departamento de Criminalística.

 

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Um vídeo de 28 segundos gravado por um jovem que morreu no incêndio da boate Kiss é uma das fontes de informação no laudo do Departamento de Criminalística – DC sobre as circunstâncias da tragédia ocorrida em Santa Maria.

A imagem mostra, entre outras coisas, a tentativa de um integrante da banda Gurizada Fandangueira de apagar o fogo com um extintor que não funcionou. Ao ver que não teria sucesso, o músico entrega o equipamento a um segurança da casa noturna e sai do palco.

A gravação ajudou a confirmar o exato local em que ocorreu o foco do incêndio, já revelado anteriormente à polícia nos depoimentos das testemunhas, ou seja, no teto, acima do palco. O laudo do DC, que tem mais de uma centena de páginas, já está pronto e passando por revisão.

Cinco peritos da ativa e um aposentado trabalharam na perícia que destoa do que é a regra em apurações de incêndios. O normal é que laudos de locais de incêndio se concentrem em tentar revelar a causa do fogo e onde foi o foco dele. No caso da Kiss, o laudo é muito mais aprofundado, porque trata de uma série de circunstâncias que poderiam ter permitido que mais pessoas se salvassem.

Grades para orientar filas

Ao reunir informações técnicas diversas, o documento vai responder porque tanta gente morreu se o fogo não destruiu todo o prédio, por exemplo.

Deve constar no laudo análise de normas de prevenção de incêndio, de segurança e de evacuação contrapostas com o que foi observado dentro da casa. Um detalhe existente no cenário da casa ganhou importância sob o olhar do peritos: as grades usadas para orientar filas.

Quem tem contato com as análises, afirma: as pessoas não chegaram a se amontoar na porta tentando sair. Elas se amontoaram junto a essas grades, que funcionaram como um obstáculo importante antes da porta. Dessa forma, as grades se tornariam um elemento até mais grave do que o tamanho inadequado porta de saída, por exemplo.

Quem teve contato com o trabalho o considera de alta complexidade pelo fato de existirem no caso da boate “tantas coisas erradas que se somaram”. A previsão é de o laudo seja entregue até a sexta-feira.

Informações de Zero Hora

FOTO: reprodução / Zero Hora

Compartilhar

Jovem que atropelou ciclista se apresenta e passa noite na DP

Avançar »

MetSul alerta para risco de temporais fortes no Rio Grande do Sul

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*