• Visualizações 761

Brasil é o quarto país mais desigual da América Latina, diz ONU

País é o quarto mais desigual da América Latina em distribuição de renda, ficando atrás somente de Guatemala, Honduras e Colômbia.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Ainda com o crescimento econômico, que levou o país a ultrapassar o Reino Unido e consolidar o sexto maior Produto Interno Bruto – PIB do planeta, o Brasil ainda é uma nação de desigualdades.

Segundo relatório sobre as cidades latino-americanas feito pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos – ONU-Habitat, o Brasil é o quarto país mais desigual da América Latina em distribuição de renda, ficando atrás somente de Guatemala, Honduras e Colômbia.

O Brasil, no entanto, avançou no combate a desigualdades nas últimas décadas. De acordo com o estudo, o país era, em 1990, o número 1 do ranking das nações com pior distribuição de renda. De acordo com o levantamento “Estado das cidades da América Latina e do Caribe 2012 – Rumo a uma nova transição urbana”, divulgado nesta terça-feira, dia 21, a América Latina é a região mais urbanizada do mundo.

O relatório projeta que a taxa de população urbana chegará a 89% em 2050. O índice de urbanização brasileira foi o maior em toda a América Latina, entre 1970 e 2010. Hoje, 86,53% da população brasileira vivem em cidades. Pouco mais de 20% da população vivem em situação de pobreza ou indigência, percentual maior do que no Uruguai, na Argentina, no Chile e no Peru. Costa Rica e Panamá também ficam a frente do Brasil, com menores percentuais na Taxa de Pobreza Urbana.

O número de pobres e indigentes no Brasil caiu pela metade em duas décadas: de 41%, em 1990, para 22% da população em 2009. Argentina e Uruguai também reduziram pela metade o número de pobres, que hoje são 9% da população, em ambos os países. Mas foi o Chile o grande campeão no combate à pobreza, com redução de 70% – de 39%, em 1990, para 12%, em 2009, referente a percentual da população pobre no país.

A ONU-Habitat considera como pobre quem vive com menos de US$ 2 por dia (cerca de R$4). Atualmente, um bilhão de pessoas vivem em favelas, em uma população global de sete milhões de pessoas.

Pouco mais de 85% das residências têm saneamento

O estudo da ONU-Habitat mostra que o Brasil é apenas a 19ª nação da América Latina em atendimento de saneamento básico. De acordo com a pesquisa, pouco mais de 85% da população urbana têm saneamento em casa, sendo que as cidades intermediárias são as menos favorecidas neste quesito.

O Brasil é o 14ª país da América Latina, segundo o relatório, com mais pessoas vivendo em favelas. No país, 28% da população moram em comunidades com infraestrutura precária, a grande maioria em situação informal. O índice de moradores de favelas no Brasil é mais alto do que a média latino-americana, de 26%.

O levantamento afirma que o Brasil é o segundo maior poluidor da América Latina, responsável pela emissão de 23% gases que provocam o efeito estufa na região.  São Paulo também é citada no estudo como uma das cidades brasileiras que mais sofrem com o trânsito.

Segundo o relatório, cada ocupante de um automóvel produz, em quantidade de horas, 11 vezes mais congestionamento do que o passageiro de um ônibus. Ainda de acordo com o estudo, os engarrafamentos na capital paulista ocasionam um custo adicional de operação de 15,8% para os transportes públicos.

Informações de G1

FOTO: Fábio Rodrigues Pozzebom / ABr

Compartilhar

Expointer começa a receber os animais em Esteio

Avançar »

Quase metade das empresas fecha antes do 3º ano de vida, segundo IBGE

2 comentários

  1. adilson
    22 de agosto de 2012

    meu amigo!todo tempo que esse país tiver politicos que venham a decidir,sempre haverá esse abismo de calamidade contra a economia.Não precisamos desses falsos representantes.

    Responder
  2. Fernando Marco
    18 de janeiro de 2016

    Falta no Brasil a taxação das grandes fortunas, a qual já está mencionada na Constituição Federal, necessitando de Lei Complementar.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*