Preço da internet no Brasil será o terceiro mais baixo na América do Sul

Internet com capacidade de 50 a 100 megabites por segundo é promessa para as 12 cidades-sede da Copa do Mundo de 2014.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O valor de R$ 35 para o acesso à internet com velocidade 1 Mbps (megabite por segundo) “é razoável” e fará com que o Brasil esteja entre os três países da América do Sul com acesso mais barato à rede mundial de computadores.

Esta é a avaliação feita pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo (foto), ao participar do programa Bom Dia, Ministro, da EBC Serviços e da Secretaria de Comunicação da Presidência da República, na quinta-feira, dia 21.

Esse valor entra em vigor a partir de 1º de outubro para as operadoras de telefonia, empresas de TV a cabo e provedores que aderirem ao Plano Nacional de Banda Larga – PNBL. Paulo Bernardo calcula que, até o fim do ano, 800 municípios estarão com internet a R$ 35.

Além da adesão das empresas privadas ao PNBL, o governo atua no “atacado” para disponibilizar a rede de fibra ótica da Telebrás, em instalação, a pequenos provedores em contratos que prevejam a oferta do serviço conforme o valor estabelecido no plano, diz o ministro. Segundo ele, até dezembro, a rede estará em funcionamento em São Paulo e Brasília.

Para o ministro, a concorrência pode baixar ainda mais o preço da internet ou forçar a oferta de melhores serviços pelo mesmo valor. “Vai ter que baixar ou aumentar a velocidade”, afirma.

Obrigação é entregar no mínimo

10% da velocidade contratada

A adesão ao PNBL não tem como condições a qualidade e a regularidade do serviço, a exigência da velocidade de 1 Mbps é nominal. Os provedores se comprometem apenas a entregar no mínimo 10% da velocidade contratada. De acordo com o ministro, estão em tramitação na Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel regras fixando os parâmetros da oferta de internet por telefonia e por TV a cabo.

Segundo ele, o governo também trabalha para que as empresas tenham “metas de competição” e sejam forçadas a ceder espaço disponível em suas redes de fibra ótica para a passagem de sinal das concorrentes. O propósito é “evitar que uma empresa sufoque a outra. Se não estiver usando, vai ser obrigada a ceder”.

REDES – Paulo Bernardo se diz consciente de que o barateamento do acesso à internet vai aumentar a demanda sobre a estrutura por onde trafegam as informações da rede. “Nós precisamos, paralelamente, de construir redes para dar conta disso”, disse o ministro. A conta no governo é que, até 2014, sejam gastos R$ 10 bilhões com redes de fibra ótica, satélites, novo cabo submarino ligado à América do Norte (e eventualmente outro, ligado à Europa).

Internet rápida nas cidades-sede

da Copa do Mundo será legado

O ministro disse que, durante a Copa do Mundo de 2014, as 12 cidades-sede terão que contar com serviços de internet rápida (de 50 a 100 megabites por segundo), para dar suporte ao trabalho dos jornalistas que cobrirão o Mundial de Futebol no Brasil. “A capacidade instalada vai ficar como legado.”

Durante o programa de rádio, o ministro ainda anunciou que, até abril do ano que vem, o governo fará licitação de um canal de radiodifusão para provimento de telefonia e internet na zona rural. No próximo ano, também haverá licitação para o telefone celular de 4ª geração (4G), com maior capacidade de transmissão de dados.

De acordo com Paulo Bernardo, o acesso à internet favorece o crescimento econômico. Para cada 10% da população que pode usufruir da rede, há um crescimento de 1,4% do Produto Interno Bruto – PIB.

Informações de Agência Brasil

FOTO: reprodução / Elza Fiúza-ABr

Compartilhar

Compensação de cheques fica mais rápida

Avançar »

Mega-Sena acumula em R$ 21 milhões para próximo sábado

5 comentários

  1. AChein
    23 de julho de 2011

    1 mbps a 35 reais. 100 mbps a quanto? continua obrigatória a garantia de 10 por cento da velocidade contratada? a anatel continua a mesma? é por isso que tentam ressuscitar velhos esqueletos prá vender ‘vento’?

    Responder
  2. EDSON VICTOR
    23 de julho de 2011

    boa tarde, as empresas se comprometem apenas entrega 10% da capacidade ofertada, isso não fere o direito do consumido?

    Responder
  3. PumpeerKin
    24 de julho de 2011

    1 mega a R$35,00. Garantia de receber 10% da banda. No fim ,continuará uma porcaria o sinal da internet. O governo, como sempre somente tomará atitude pq tem algum evento importante chegando. Depois, volta ou carece-se de novos planos. Tenho dito.

    Responder
  4. joão sant'anna guilherme
    24 de julho de 2011

    acho que isso não vai passar de mais um engodo do governo pois, tudo o que se promete no pais fica a meia boca, ou se abre as pernas para capital estrangeiro fazer o lucrativo e nunca o bom ou não faz nada mesmo e toca o barco. nunca se preocupa com imagem e nome a zelar.é o pais do desleixo , não faço… deixa quem quiser fazer, e se fizer 10% de 100% tá de bom tamanho… pois indica que não deixei de fazer. atestado de inutilidade desde os anos 50.

    Responder
  5. Pedro Victor
    24 de julho de 2011

    Caro AChein,
    1 mbps a 35 é barato sim… pq?
    1 mbps é uma taxa de download o que deveria ser aproximadamente a velocidade de uma internet de 10 MB…

    eu não sei você mais eu pago mais q 35 reais pra obter uma net de 2 MB…

    abrçs e q fique esclarecido o equivoco…

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*