Índice de Preços ao Consumidor está mais baixo em seis capitais

Das sete pesquisadas, Brasília é a única cidade que apresentou variação positiva; deflação do índice se deve ao grupo alimentação em várias capitais.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal – IPC-S apresentou deflação no fechamento de julho em seis das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getulio Vargas – FGV.

Na última prévia do mês passado, o IPC-S intensificou a trajetória de queda, registrando deflação de 0,21%, ante o recuo de 0,14% da semana anterior. Segundo informações divulgadas nesta terça-feira, dia 03, pela FGV, Brasília foi a única cidade pesquisada que apresentou variação positiva, de 0,02%.

O resultado foi 0,17 ponto percentual inferior ao divulgado na terceira semana de julho (0,19%), com o impacto da desaceleração de preços nos grupos vestuário e educação, leitura e recreação.

Em São Paulo, o IPC-S da última semana de julho registrou deflação de 0,08%, mas houve redução no ritmo de queda em relação à semana anterior, quando a taxa ficou em -0,13%. O resultado foi influenciado pela alta de preços dos itens transportes, alimentação e habitação.

Belo Horizonte foi a capital onde o recuo do IPC-S foi mais intenso, de -0,43%, ante a taxa de -0,08% da semana anterior. Segundo a FGV, os grupos que mais influenciaram o resultado foram alimentação e educação, leitura e recreação.

Em seguida vem o Rio de Janeiro, com -0,46%, contra -029% da terceira semana de julho, pressionado pela queda de preços em vestuário. Em Salvador, o IPC-S ficou em -0,02%, ante 0,05%, com destaque para a queda de preços em alimentação e despesas diversas; e em Recife, em -0,22%, ante -0,20%, reflexo da desaceleração nos preços do grupo alimentação.

Em Porto Alegre, o IPC-S fechou o mês em -0,06%, contra -0,04%, em função da queda de preços nos grupos vestuário e saúde e cuidados pessoais.

Informações de Agência Brasil

FOTO: ilustrativa / Tendências e Mercado

Compartilhar

Consumidores da classe D gastarão 28% da renda em consumo

Avançar »

Produção industrial cai 1% em junho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*