• Visualizações 3506

Médico-legista do caso Isabella é convidado a investigar o caso Bruno

Advogado de defesa do goleiro deseja fazer investigação paralela sobre a morte de Eliza Samudio; médico ainda não respondeu o convite.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Depois de causar polêmica ao contestar a perícia oficial da investigação da morte da menina Isabella Nardoni, o médico-legista George Sanguinetti (foto) pode voltar ao noticiário com suas investigações, agora no caso que envolve o goleiro Bruno.

Leia mais

Vídeo pornográfico de Eliza Samudio vira hit

Novo depoimento de menor pode complicar goleiro

Conversas de Eliza na Internet contribuem nas investigações

Goleiro é instruído a não se submeter ao exame de DNA

Depoimento de menor indica assassinato cruel, planejado friamente

Sanguinetti afirmou que manteve contato com o advogado de defesa do goleiro, Ércio Quaresma, que o teria convidado a realizar uma investigação paralela sobre a morte da ex-amante do atleta, Eliza Samudio.

Em entrevista ao UOL Notícias, o médico disse que ainda não decidiu sobre sua participação, mas prometeu dar uma resposta até a próxima quinta-feira, dia 15. Entretanto, ele adiantou que já começou a estudar o caso.

“Não há nada certo ainda, porque o próprio advogado falou que precisava do consentimento do Bruno, mas realmente houve esse convite e estou pensando. Mas já estou me preparando, analisando todos os detalhes que tenho acesso do caso”, afirmou, alegando que, assim como no caso Isabella, “há um pré-julgamento muito forte”.

Embora ainda esteja distante do caso, Sanguinetti acredita que algumas dúvidas podem ser solucionadas com uma perícia criminal. “O menor J. disse que, quando ia do Rio de Janeiro a Belo Horizonte, deu três golpes na cabeça da vítima. Mas ela ficou três dias em cárcere privado; é preciso verificar onde ela lavou o rosto, onde ela tomou banho para ver se há vestígios de sangue”, afirmou.

RESTOS MORTAIS – Sanguinetti diz que vê com cautela o fato da polícia não ter encontrado ainda os restos mortais de Eliza. “Segundo a versão apresentada pelo menor, Eliza teria sido estrangulada pelo ex-policial [Marcos Aparecido dos Santos] e jogada para os cães, sendo que os restos que os animais não comeram, ou seja, o esqueleto, teriam sido concretados no sítio onde ela teria sido morta. No cachorro, a digestão realmente é rápida, com 24 horas está eliminada. Só que você tem detalhes aí, como as unhas, o cabelo dos acusados, tem a terra, o local onde dizem que ela foi morta. E já houve muitas buscas, durante um bom tempo, e nada foi encontrado até momento”, alegou.

Considerações do médico-legista

Segundo Sanguinetti, um dos motivos que pesa na sua definição de entrar no caso é o posicionamento contrário de seus familiares. “A minha família está fazendo resistência. Eles sabem que se for entrar no caso, vou para trabalhar, me dedicar”, disse.

Sanguinetti ainda fez críticas à forma como o goleiro e os demais acusados foram tratados em Minas Gerais. “Como é que, em uma fase de inquérito policial, você coloca roupa de presidiário? Ele está em processo de detenção, não de condenação. E aquela roupa de condenado. Há muitas pessoas sendo acusadas, não há apontamentos claros das culpas, e é preciso moderação nesse momento”, afirmou.

Caso Isabella Nardoni

Segundo o médico-legista, por conta de uma determinação judicial, o livro em que aponta supostas contradições no laudo sobre a morte de Isabella Nardoni vai demorar um pouco a ser publicado.

“Estou obedecendo a uma decisão judicial, e agora o livro não terá mais o nome da menina; terá como título ‘A condenação do casal Nardoni: erros e contradições judiciais’”, explicou, sem dar prazo para publicação.

Informações de portal UOL

FOTO: reprodução / arquivo do Diário de S.Paulo

Compartilhar

Serasa Experian prevê alta da inadimplência no segundo semestre

Avançar »

Receita Federal paga mais de R$ 2 bilhões em restituições nesta quinta-feira

2 comentários

  1. 14 de julho de 2010

    pq ñ mata o bruno e da pro cais

    Responder
  2. ergina da silva lima
    30 de julho de 2010

    Quem é vítima, a Eliza? como assim? Sou uma defensora dos Direitos das Mulheres e luto por eles, mas defender alguém que supostamente estava em busca de fama e R$ e demais…Penso que tudo foi planejado pela Eliza, a busca de ajuda na Delegacia da Mulher, o video montado, as fala gravadas entre amigas. A vida de garota como ela não deve ser fácil, vemos casos que garotas envolvidas em orgias apanham de seus parceiros. Gostaria de saber dos defensores dela por que ela escolheu o Bruno para denunciar? Será que ela NUNCA tinha apanhado antes na sua trajetória de sexualidade? Tudo é muito estranho e não visualizo vítimas, a não ser a criança. São pessoas sem limites, tanto o grupo do Bruno, o grupo de Eliza. Sentimos tudo isso estar acontecendo, pois o Bruno alegrava nosso futebol e peço a Deus que tudo seja resolvido. Há muita poeira nesse assunto… quem viver verá!!!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*