• Visualizações 1403

Procuradora é condenada a oito anos por torturar criança

A promotoria está recorrendo para aumentar a pena de Vera Lúcia, condenada por agredir a menina de dois anos que estava sob sua guarda

Da Redaçãoredacao@novohamburgo.org

A procuradora de Justiça aposentada, Vera Lúcia de Sant’Anna Gomes, 66, foi condenada nesta quinta-feira, 08, a oito anos e dois meses de prisão. Ela é acusada do crime de tortura, praticado contra uma menina de dois anos que estava sob sua guarda, aguardando o processo de adoção. O Ministério Público do Rio de Janeiro já recorreu na tentativa de aumentar a pena da condenada.

A pena foi decidida pelo juiz Mario Henrique Mazza, da 32ª Vara Criminal do Rio, que afirmou que a criança, conforme revelava as fotos, possuía múltiplas lesões provocadas por ação contundente, principalmente no rosto e na região dos olhos.

Pela questão do crime ter sido praticado de forma continuada, a promotora Carla Rodrigues Araújo de Castro, entende que a pena deve ser maior, por isso recorreu da decisão e quer aumentá-la em 2/3. A decisão ainda é de primeira instância, segundo o Tribunal de Justiça e a condenada também poderá apresentar recurso.

Com informações do G1

Foto: reprodução / Pioneiro

Compartilhar

Emprego na indústria em maio é o maior desde 2004

Avançar »

Temporais castigam o Estado e pelo menos 75 mil ficam sem luz

2 comentários

  1. Adriano
    9 de julho de 2010

    Tomara que ela fique presa numa cela escura sem janelas.
    Jararaca

    Responder
  2. Marco Poleto
    11 de julho de 2010

    É lamentável como as coisas estão dessa forma.
    Há uma frase que diz o seguinte: ” Que homem que é o homem que não consegue melhorar a vida do próprio homem”. Os seres “racionais” já não conseguem se ver como semelhantes ou irmãos, mas como concorrentes ou inimigos. O sentimento de supremacia e de poder sobre os outros, tornam pessoas cada vez mais cruéis e com o sentimento destruidor. Essa mulher, tem que sofrer uma pena exemplar. Somente assim as pessoas medirão suas ações em virtude das consequências. O descrédito quanto as punições torna as pessoas mais corajosas. Vivemos situações de medo constante. O caso do Bruno (jogador do Flamengo), o caso do advogado Emizael, etc.
    Enfim, esta pena é curta, não suficiênte a ponto de servir de exemplo para outras pessoas.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*