• Visualizações 451

Quantidade de devoluções de cheques é a menor desde abril

O forte crescimento econômico está gerando evolução no emprego, o que estimula o consumidor a regularizar suas pendências financeiras.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A inadimplência com cheques registrou, nos quatro primeiros meses de 2010, o menor patamar desde 2005. De acordo com o Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundo, a inadimplência ficou em 1,91% no período, ante 1,78% cinco anos antes.

Na análise mensal, o indicador, divulgado nesta terça-feira, dia 19 de maio, mostra que a devolução de cheques ocorrida em abril diminuiu na comparação com o mês de março. No quarto mês do ano, a inadimplência com esse meio de pagamento foi de 1,86%, ante 2,04% no mês imediatamente anterior.

Na comparação com abril do ano passado, os números também são positivos, já que no quarto mês de 2009 o índice era de 2,22%.

De acordo com os analistas da Serasa, o forte crescimento econômico está gerando evolução do emprego, sobretudo com carteira assinada, e da renda. As melhores condições orçamentárias do consumidor estimulam a regularização de suas pendências financeiras, incluindo as de cheques devolvidos por falta de fundos.

Além disso, prevendo novas compras parceladas para o Dia das Mães, Copa do Mundo e Dia dos Namorados, o consumidor também pode ter privilegiado, em abril, o pagamento do cheque devolvido.

Compensações e devoluções

No acumulado do ano, foram quase 374 milhões de cheques compensados e pouca mais de 7 milhões devolvidos. Considerando apenas abril, de um total de 92.682 milhões de cheques compensados, 1,727 milhão foram devolvidos.

Apesar do resultado positivo, a perspectiva da Serasa é de que a inadimplência com cheques sofra, no segundo semestre, algumas pressões, por causa do maior endividamento do consumidor e pelo crédito mais caro, decorrente do aperto monetário iniciado em abril.

Informações do portal UOL.

FOTO: reprodução / stock.xchng

Compartilhar

Cadeirante passa em 1º lugar de concurso e tem que recorrer à justiça para ser chamado

Avançar »

Protesto indígena termina em conflito na Câmara dos Deputados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*