Por que NÃO devo cruzar minha fêmea?

Hoje estou escrevendo com um objetivo muito simples e que sempre é bom relembrar.

Nunca fui um modista ou alguém que faz tudo para seguir um padrão. Principalmente no que diz respeito ao meu trabalho.  Desde criança sempre fui apaixonado por cães, mas talvez pelo fato de só ter conseguido ter um cão depois que  saí de casa e me casei, isso tenha me ajudado a observar de fora – tendo em vista  o que as pessoas, meus vizinhos na época, faziam com seus cães. Em dezesseis anos como adestrador, nunca tive contato com um criador e sempre fui contra a cruza de forma descontrolada e negligente.

Escrevo hoje para lembrar que nós somos responsáveis pelo mundo em que vivemos.

Somos responsáveis pelos nossos atos, porque temos o poder da escolha. Podemos escolher o que fazer e como fazer. Mas é necessário pensar um pouco antes.  Porém, muitas pessoas não gostam de assumir suas responsabilidades.

Assumo minha responsabilidade como profissional, passando a informação correta.

Desde criança, escuto pessoas dizendo que cruzar uma fêmea ajuda a acalmá-la e pode deixá-la mais eficiente como cão de guarda. É neste momento que entra o poder de escolha e a nossa responsabilidade como seres humanos inteligentes.

Será que as consequências de se cruzar um fêmea, com esse objetivo, não são ruins demais?

Pense muito bem antes de fazer isso, POR FAVOR.  Existem muitas opções para se adotar um cão em ONGS, CANIS MUNICIPAIS OU COM PROTETORES.  Se for adquirir com algum criador, procure bem, pois são poucos os responsáveis e confiáveis.
Tenha paciência e procure com calma.
Considere os gastos, o espaço físico e o tempo necessário na responsabilidade de se ter um cão. Não cruze de forma irresponsável só porque você quer ficar com um ou dois filhotes.

Eu pergunto: e os outros filhotes? Quem irá ficar com eles?  Eles serão bem tratados ou criados com responsabilidade também?

E as fêmeas filhotes, será que não irão procriar assim que  também passarem pelo cio?

Um exemplo: e se outras 10 pessoas tiverem a mesma ideia que você teve, só na sua cidade?

Só aí acredito que já seriam mais ou menos outros 100 cães colocados no mundo.

Uma dica importante:

Se você quer deixar sua fêmea mais calma ou torná-la uma guarda mais eficiente, procure ajuda profissional de um bom adestrador, pois essa seria a atitude mais correta para educar seu cão e ajudar você.

Pense nisso e, por favor, repasse essa ideia .

Obrigado e até a próxima!

Compartilhar

Foto da Semana #49: “Anoitecendo”, de Cristina Ludwig

Avançar »

Foto da Semana #50: “Alegrando a Feira das Flores de Ivoti”, de Gilberto Winter

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*

Turismo
home_central_vertical