• Visualizações 1129

Acidente no Chile motiva “raio X” das minas brasileiras

Ministério de Minas e Energia afirma que técnicos brasileiros trocarão informações com colegas chilenos sobre o acidente na mina San José.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, pediu ao secretário de geologia e mineração do ministério, Cláudio Scliar, um levantamento sobre as condições de segurança de todas as minas brasileiras.

O pedido foi motivado pelo acidente com um grupo de 33 mineiros chilenos, que passou 69 dias preso a cerca de 700 metros de profundidade na mina San José, no deserto do Atacama.

Segundo a assessoria do ministro, será feito um raio X das 2.661 minas em operação no país. Desse total, 2.597 são a céu aberto, 47, subterrâneas, e 17, mistas (com exploração a céu aberto ou em galerias subterrâneas). A maior parte das minas subterrâneas ou mistas brasileiras está em dois estados: Minas Gerais e Santa Catarina.

O levantamento deve ser concluído “nas próximas semanas”, de acordo com a assessoria. Apesar do pedido, o ministério avalia que a legislação brasileira para o setor é mais rígida do que a chilena. Na mina San José, os trabalhadores tinham apenas uma saída. No Brasil, a regra estabelece que toda mina subterrânea deve ter ao menos dois pontos de escape.

CONTATO – De acordo com a assessoria do Ministério de Minas e Energia, técnicos brasileiros vão trocar informações com colegas chilenos sobre o acidente em San José. As negociações estão sendo intermediadas pelo Itamaraty, segundo o ministério, e o governo chileno teria concordado em trocar informações.

O Brasil já havia feito contato com o governo chileno logo após o acidente, para oferecer ajuda e fazer um intercâmbio de informações. Segundo a assessoria do ministro Zimmermann, a idéia é aprender com a experiência chilena os riscos da operação para tentar evitar acidentes futuros nos dois países.

Um grupo de técnicos do Departamento Nacional de Produção Mineral – DNPM, ligado ao Ministério de Minas e Energia e ao Ministério do Trabalho foi criado para avaliar os dados sobre o acidente no Chile. Há a possibilidade de integrantes do grupo visitarem a mina San José para avaliar as condições de segurança do local.

Informações de portal G1

FOTO: reprodução / AP

Compartilhar

Vencedor do Nobel de Literatura classifica conduta de Lula como “esquizofrênica”

Avançar »

Falta mão de obra na construção civil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*