• Visualizações 1930

Cyberbullying: perigo por trás das telas do computador

Episódio envolvendo “Colírio Capricho” que denunciou agressões feitas através da Internet chama a atenção para o debate.

Mônica Neis Fetzner monica@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Muito magro. Muito gordo. Muito alto ou baixo… Características físicas que sempre foram matéria-prima de piadas entre jovens.

Até aí, nenhuma novidade. O que mais preocupa pais e especialistas no tema agora, no entanto, é a propagação desses comentários depreciativos com as facilidades oferecidas pela Internet. E os perfis extremos não são os únicos alvos.

Leia Mais

Conheça o Twitter de Felipe Nardoni

Para entender esse fenômeno o Portal novohamburgo.org ouviu a psicóloga e professora Mariane Mendes Ribeiro, coordenadora do Centro Integrado de Psicologia – CIP da Universidade Feevale. Ela explica que sempre estão expostas à ridicularização “pessoas que, por alguma razão, estão em evidência e provocam nos outros – inconscientemente ou não – afetos e sentimentos ambivalentes”.

A professora fala também sobre os motivos que levam os jovens a cometer o que se convencionou chamar de bullying. “As pessoas que praticam estão muito incomodadas com algo que o outro espelha para si, seja uma carência ou mesmo uma diferença”.

Colírio

Recentemente, Felipe Nardoni (foto), de 17 anos, se viu famoso entre as adolescentes brasileiras. Participou do reality show Colírios Capricho, que reuniu 10 garotos no QG Colírios durante 42 dias.

Depois da notícia de uma suposta tentativa de suicídio ter circulado no serviço de microblogs Twitter, motivada pelos freqüentes ataques de um usuário que utilizava a conta “@fucknardoni”, Felipe esclareceu: “Eu jamais pensaria em tentar cometer suicídio. O problema é que as piadinhas e agressões aumentaram depois disso. Bullying não é brincadeira, mas vou tentar levar a minha vida normal, só quero paz”.

O episódio vai ao encontro da opinião de Mariane Mendes Ribeiro e ilustra o perigo das acusações e chacotas feitas por uma tela de computador. “Pela Internet, a pessoa fica mais exposta e não tem uma condição de se colocar numa posição de enfrentamento da situação, produzindo uma sensação de impotência”.

Como reagir

O fato de as crianças estarem em contato com a rede mundial de computadores cada vez mais cedo e, conseqüentemente, precocemente expostas ao cyberbullying preocupa os pais. Velhos questionamentos, como “proibir causa o efeito contrário?” e “liberar demais vai prejudicar meu filho?”, reacendem.

Para os mais “atucanados”, a mensagem é de calma. “Reprovações fazem parte da vida, ajudam a crescer, desde que sejam discutidas com a criança e colocadas de uma forma que ela possa entender e pensar novas possibilidades de atuação”, avalia Mariane Mendes Ribeiro.

Sobre a necessidade de interferência dos pais no comportamento dos filhos, a psicóloga é taxativa. “Os pais sempre devem orientar seus filhos, conversar sobre os seus sentimentos, não apenas reprovar ou reprimir. Compartilhar experiências é um caminho bastante profícuo”, finaliza.

FOTO: reprodução / Colírios Teen

Compartilhar

CLERICOT E SEDUÇÃO

Avançar »

Mulheres, mães… Também viram crianças!

Um comentário

  1. 17 de setembro de 2010

    Deveria ter penas mais rígidas para quem pratica o Cyberbullying, ou o responsável pelo praticante.
    Meu nome não é Barnei, não é Tiago, não é Ronaldo e nem Marlom ou Marlei.
    Espalham para todo mundo que sou tímido e tem vergonha de me dizer isso pessoalmente.
    Quem é Jú? Porque querem me assustar? São pessoas muito feias?
    Quem é que me manda esses recados idiotas e sem nexo nenhum todos os dias?
    Quem é masturba ou bronha ou punheta ou siririca?Que criatura infeliz teria uma nome desses?
    Vivem atrapalhando meu serviço. Quem são essas criaturas? Eu nunca vi essas criaturas na minha vida! Porque me mandam esses recados idiotas?Vivem atrapalhando a minha navegação na internet!Vivem perseguindo as pessoas pela cor de camisa que usam! Quem são essas criaturas? O que quer dizer “ela sabe”?Ela sabe o quê?E se souber?Qual é o problema em saber?O que quer dizer “só com o susto”? Que lixo virtual é esse?
    O que quer dizer assustado?Quem está assustado?E daí, se tiver assustado?
    O que quer dizer assusta ele? Porque querem assustar?Qual é a finalidade?
    “É amigo dele”. Quem é amigo dele? Amigo de quem? E daí?Que idiota daria atenção para um lixo de brincadeira dessas?Quem?
    O que quer dizer “tá bravo”?Quem tá bravo? E se tiver “bravo”? Qual é o problema ?Quem nunca ficou bravo na vida?Qual é a finalidade dessa inutilidade?
    Só me falta ter gente seguindo essa “merda”!Me desculpem o termo.
    É uma brincadeira muito sem graça e de mau gosto.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*