Movimento “Ocupe Brasília” acampa no Congresso Nacional

União Nacional dos Estudantes defende que 10% do Produto Interno Bruto brasileiro, no mínimo, sejam destinado à educação.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Mais de 150 estudantes acampam no gramado em frente ao Congresso Nacional para defender que, no mínimo, 10% do Produto Interno Bruto – PIB sejam investidos em educação. A meta deve ser incluída no Plano Nacional de Educação – PNE.

A presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas – Ubes, Manuela Braga, disse que o protesto quer promover uma discussão sobre a necessidade de melhorar a educação no país. Segundo ela, o caminho é incentivar o ensino técnico e ampliar as vagas nas universidades públicas.

“Nossas principais bandeiras são a ampliação da escola técnica e de universidades, a melhoria na forma de acesso no vestibular e a concessão do passe livre e da meia-entrada em eventos para os estudantes”, explica Manuela. “A gente não consegue realizar nossas metas com menos de 10% do PIB na educação. Não vamos abrir mão desses direitos.”

O movimento, chamado Ocupe Brasília, é organizado pela União Nacional dos Estudantes – UNE e inspirado em ações internacionais como o Ocupe Wall Street, em que a população protesta contra os impactos da crise financeira. O presidente da entidade, Daniel Iliescu, afirma que a manifestação busca o apoio dos brasileiros para garantir mais recursos para a educação no país.

“Queremos chamar a atenção da sociedade, pressionar os parlamentares e o governo federal em relação a alguns temas que esta semana terão seu destino decidido e que influenciam diretamente a vida dos estudantes e da juventude do país”, define Iliescu. “Precisamos ficar atentos e exigir nossos direitos.”

O projeto de lei que cria o Plano Nacional de Educação – PNE, no período de 2011 a 2020, foi enviado pelo Governo Federal ao Congresso em 15 de dezembro de 2010. O novo PNE apresenta 10 diretrizes objetivas e 20 metas, além de estratégias específicas de concretização para o setor.

Informações de Agência Brasil

FOTO: Antonio Cruz / ABr

Compartilhar

MEC corta mais vagas de cursos da Saúde: Biomedicina, Nutrição e Fisioterapia

Avançar »

Acampamento em Brasília continua após definição de que PNE destinará 8% do PIB à Educação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*