Novo Hamburgo: Prefeitura contesta data-base e professores mantêm mobilização

Sindicato municipal da categoria diz que administração teria até 05 de abril para apresentar proposta, mas data é questionada. .

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Ainda vai durar mais alguns dias a polêmica entre os professores hamburguenses e a Prefeitura em torno do reajuste do funcionalismo.

Leia Mais

Professores denunciam descumprimento da data-base para reajuste

Nesta segunda-feira, dia 11, o Sindicato dos Professores voltou a reclamar do que entende ser indisposição ao diálogo por parte do Governo Tarcísio (PT). Segundo a presidente, Luciana Martins, reunião marcada pela Secretaria de Planejamento para às 14 horas acabou desmarcada, às 11 horas da manhã, sem justificativa.

É a segunda vez em menos de 15 dias, conforme a professora, que isso acontece. “O Governo do Estado já apresentou proposta para o magistério, enquanto nós estamos sem saber do nosso futuro”, argumenta Luciana. Mesmo com a reunião desmarcada, a entidade tentou uma conversa com o Gabinete do Prefeito, mas ouviu que a agenda deveria ser marcada com antecedência.

A pauta de negociações, protocolada pelo Sindicato dos Professores no dia 10 de março junto à Prefeitura, prevê sete pontos. Entre eles, reajuste de 21% para reposição de perdas e melhorias no Plano de Carreira do magistério. No último sábado, 09, sindicalistas foram às ruas conversar com a comunidade sobre o tema (foto) e prometem manter a agenda de mobilização até que sejam recebidos pelo prefeito Tarcísio Zimmermann.

Prefeitura contesta data-base

Depois de receber a denúncia do sindicato sobre o descumprimento da data-base para apresentação de proposta de reajuste do funcionalismo municipal, que seria 05 de abril, o Portal novohamburgo.org procurou a Prefeitura para saber a sua versão a respeito do assunto.

A resposta, encaminhada à redação na manhã desta segunda pela assessoria de imprensa, alega que a Lei Municipal 1.306/2005, que “dispõe sobre a revisão geral e anual das remunerações e subsídios dos servidores públicos municipais dos poderes executivo e legislativo do município, das autarquias e fundações públicas municipais”, fixa apenas o mês de abril para que ocorra a negociação, e não uma data específica.

Diz a nota da Prefeitura: “A lei municipal 1.306/2005 apenas aponta o mês de abril para a revisão das remunerações, e não o dia 05 de abril, como afirma o sindicato. Ou seja, não foi descumprido nenhum prazo, pois o mês de abril ainda não passou”.

FOTO: divulgação / SindProfNH

Compartilhar

Desfile na Fimec inclui peças de acadêmicos da Feevale

Avançar »

Piso de professores causará impacto de R$ 5,4 bilhões, conforme CNM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*