• Visualizações 2823

Enem 2010: Justiça proíbe divulgação do gabarito

Em nota, juíza cearense reitera a suspensão da prova e, consequentemente, da divulgação dos gabaritos. O MEC está prometendo abrir página na internet para auxiliar candidatos nesta quarta-feira, 10.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Na tarde desta terça-feira, 09, a Justiça Federal do Ceará informou que o gabarito do Exame Nacional de Ensino Médio – Enem não poderá ser divulgado.

Leia Mais

Haddad dá explicações na OAB sobre falhas no Enem

Para Lula, Enem 2010 é “sucesso total”

Justiça Federal determina suspensão do Enem 2010

Regras de segurança causaram erro na impressão, diz gráfica

Em nota divulgada pela assessoria da Justiça Federal cearense, a juíza Karla de Almeida Miranda Maia confirmou sua decisão de suspender as provas realizadas no último final de semana. O texto reforçava que a liminar divulgada na última segunda-feira, 08, já havia deixado evidente que o Enem estava suspenso, o que também cancela a divulgação dos gabaritos e recebimento de recursos.

O Ministério da Educação havia programado a divulgação do gabarito para esta terça-feira. O MEC ainda não se pronunciou oficialmente sobre a nota da Justiça Federal do Ceará.

ENEM 2010

O Exame ocorreu em todo o país no último final de semana. No primeiro dia de provas, sábado, dia 06, os estudantes reclamaram do erro na folha de respostas e no caderno de cor amarela. O MEC e a Gráfica responsável pela impressão já admitiram as falhas.

PROBLEMAS NA FOLHA DE RESPOSTAS – O Ministério prometeu abrir uma página na internet nesta quarta-feira, 10, para receber as reclamações e assessorar os alunos. A folha de respostas estava com os títulos das áreas de conhecimento e estudantes afirmam que seguiram o enunciado e preencheram as respostas de forma errada. Para esses casos, o MEC diz que os inscritos poderão pedir a correção invertida da prova.

CADERNO AMARELO – No caso do caderno de questões amarelo, estima-se que cerca de 2 mil participantes foram prejudicados pela prova que apresentava questões repetidas, sequência numérica errada e até algumas questões de um outro modelo aplicado, a prova branca. O Ministério havia informado que estava avaliando aplicar novas provas a esse grupo que recebeu a prova com erros.

SUSPENSÃO DA PROVA – A juíza cearense entende que a aplicação de nova prova apenas a um grupo pode beneficiar alguns estudantes e realizar prova apenas aos reclamantes não resolve o problema.

“Novas provas poriam em desigualdade todos os candidatos remanescentes. Do mesmo modo, novas provas não solucionaram o problema da segurança na aplicação do exame”, afirmava da liminar emitido pela juíza Karla.

Informações de portal G1

FOTO: reprodução / Veja

Compartilhar

Para Lula, Enem 2010 é “sucesso total”

Avançar »

Enem 2010: Ministro Haddad dá explicações na OAB sobre falhas

6 comentários

  1. Flávio Augusto dos Santos Filho
    9 de novembro de 2010

    A Educação no Brasil está longe de ser modelo a ser copiado, porém o ENEM seria uma maneira mais justa de ingresso para uma Faculdade.Claro que como em todo tipo de avaliação, encontraremos erros, e no caso do ENEM 2010,defendo o direito daqueles que de alguma forma se sentiram prejudicados a poderem repetir suas provas.Porém repudio a decisão da juíza cearense, que a meu ver busca apenas visibilidade nacional e me pergunto a quem em particular ela deseja beneficiar com sua atitude ,em querer anular o ENEM 2010.
    Primeiro porque apenas houve erros em 0,3%(segundo divulgado) das provas realizadas a nível nacional, segundo porque seria injusto a submissão de uma grande maioria de alunos a novos exaustivos exames de longa duração(10hs),e ao Stress e nervosismo que isto envolve.Assim como não é justo com aqueles que obtiveram bons resultados e tem o direito de mantê-los.

    Responder
  2. Francisco
    9 de novembro de 2010

    A juíza já teve seus 15 min de fama. Basta!

    O que está por trás de todo esse “imbroglio” são interesses maiores: fundações que organizam vestibulares, cursos pré-vestibulares,”empresas” que editam apostilas, que querem que o Enem seja “abolido”. Selecionam o “bode” para tomar conta da “horta”. Selecionam a Cesgranrio, fundação que aplica provas de vestibulares, para fazer o Enem. Como diz um famoso comentarista esportivo: “È brincadera, hein”!!!!

    Responder
  3. jorge
    10 de novembro de 2010

    Acho isso isso uma palhaçada essa juíza já teve seus 15 minutos de fama mesmo agora já chega pelo amor de Deus puxa fala sério o que tem divulgar o gabarito?
    Nem todos tem q ser prejudicado por causa da burrice de outros

    Responder
  4. Gleison Nascimento
    10 de novembro de 2010

    Mesmo que apenas um só candidato fosse prejudicado com os erros do enem,já seria o suficiente para que as provas fossem anuladas,pois esse candidato concerteza se preparou o ano inteiro para a prova,e o comentário do Flávio foi infeliz ao afirmar que a juíza CEARENCE queria apenas visibilidade nacional.Por que ele falou isso? Será pelo fato da juíza ser cearence? Será mais um comentário preconceituoso? Se a juíza tomou essa decisão pensando na igualdade de direito para todos os candidatos…

    Responder
  5. Alan mota sousa
    10 de novembro de 2010

    \"Eu de modestia parte sou contra a aplicação de um novo exame visto que não resolveria problema\"!

    Responder
  6. NYVALDO
    10 de novembro de 2010

    É UMA VERGONHA SUSPENDER DEPOIS DE PERDEMOS O SABADO E O DOMINGO DENTRO DE UMA SALA DE AULA PASSado calor e uma cadeira dura….essa juíza deveria passar o que a gente passou pra ver o que é bom. …com certezA ELA NUNCA PASSOU POR ISSO….NÃO TEM QUE ANULAR NADA…POIS NINGUEM É PALHAÇO.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*