• Visualizações 946

Rio Grande do Sul tem o terceiro melhor Ensino Médio do país

Estado pulou da sétima para a terceira posição no ranking nacional do Ensino Médio e da sétima para a quarta no Ensino Fundamental, alcançando meta do MEC.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Embora o Índice de Educação Básica – Ideb de 2009, apurado pelo Ministério da Educação, tenha apontado um avanço tímido na qualidade nacional do Ensino Médio, o Rio Grande do Sul tem o que comemorar.

Os gaúchos melhoraram o desempenho em 0,2 ponto em relação à nota de 2007 e fizeram o Estado pular da sétima para a terceira posição no ranking nacional do Ensino Médio.

O Ideb de 2009, por Estado, será divulgado nesta segunda-feira, dia 05, pelo Ministério da Educação – MEC. Em 2007, o Estado teve o sétimo melhor índice do Brasil, 3,7, o mesmo obtido em 2005. Segundo a avaliação do MEC divulgada na semana passada, mas detalhada somente agora, o Ensino Médio gaúcho só perde para Paraná (1º) e Santa Catarina (2º). Os 3,9 no Ideb 2009 também foram conquistados por Minas Gerais e São Paulo.

“É um avanço ainda incipiente, precisamos de mais tempo para avaliar esse dado com consistência. Devemos aplaudir essa subida no ranking, mas ela ainda não é suficiente para dizer que há melhora séria no ensino gaúcho”, afirma Helena Sporleder Côrtes, professora da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS.

Ensino Fundamental

Também nas séries finais do Ensino Fundamental (5ª a 8ª série) houve ganho de posições. Nessa faixa, o Rio Grande do Sul saiu de sétimo para quarto colocado entre os demais Estados, alcançando a meta estabelecida pelo MEC. O índice de 3,9 cedeu lugar a um 4,1.

Seguindo a curva ascendente do resto do Brasil, as séries iniciais do Ensino Fundamental gaúcho (1ª a 4ª série) ultrapassaram as metas do governo federal. E mais, ficou apenas 0,2 atrás do que o MEC determinou para 2011.

Mesmo assim, o índice 4,9 não mudou o Estado de posição e o mantém na 6ª colocação. Para o ministro da Educação, Fernando Haddad, a tendência é de que esse ritmo de melhora caia nas séries iniciais e aumente nas seguintes.

“A avaliação do ministro procede. Até porque a criança com base mais sólida cresce com mais facilidade nas séries seguintes. O certo é que estamos investindo muito nos últimos anos na formação de professores. É isso o que já estamos vendo no Ideb 2009? Ainda é cedo para dizer”, afirma Elizabeth Krahe, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS.

Informações de ClicRBS

FOTO: reprodução / GettyImages

Compartilhar

Novo Hamburgo: Prefeitura investe na ampliação da escola municipal Padre Reus

Avançar »

Equipe da Universidade Feevale é campeã da Liga Universitária Gaúcha de Futebol

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*