• Visualizações 99

Acidentes domésticos com crianças: um novo alerta na pandemia

Casos de intoxicação por álcool gel são exemplos de perigos que estão dentro de casa

Enquanto vivemos uma situação totalmente nova, de uma pandemia mundial que colocou em pausa muitas das atividades rotineiras e requer o distanciamento social como forma de prevenção, novos hábitos são adotados com a permanência das crianças em casa em tempo integral. Mas além das preocupações com os estudos e a distração dos pequenos, é fundamental ter cautela com os possíveis acidentes.

No Brasil, acidentes são a principal causa de morte de crianças de um a 14 anos de idade e levam mais de 111 mil crianças a hospitais no país, anualmente, segundo dados da Organização Criança Segura. Hoje, ainda sem aulas presenciais, embora protegidos de fatores como trânsito, os pequenos estão expostos a outros riscos que podem passar despercebidos no próprio lar.

“Os acidentes acontecem, muitas vezes, com coisas triviais, comuns à nossa rotina, mas que nas mãos de crianças tornam-se um perigo, como remédios, um simples lápis pontiagudo, pequenos enfeites e até mesmo a altura de armários e escadas da própria casa”, elenca o médico Dr. Fábio Strauss, pós-graduado em Urgência e Trauma e idealizador do site gratuito de orientação de primeiros socorros com crianças www.fabiostraussprimeirossocorros.com.

Álcool gel: cuidado especial

O médico reforça o cuidado com os produtos que ficam ao alcance das crianças citando o álcool gel, um importante aliado na prevenção à covid-19, que trouxe um novo alerta com o aumento de casos de intoxicação entre crianças. Segundo o Centro de Informação e Assistência Toxicológica (CIATox), de janeiro a abril deste ano houve 108 registros, frente a 15 casos em 2018 e 17 no ano de 2019, quando o produto ainda não estava de forma tão presente nas casas.

Como agir

A melhor medida é sempre a prevenção, mas quando o acidente acontece, também é importante saber agir. “Os primeiros socorros são uma especialidade médica e este conhecimento é insubstituível, mas algumas atitudes realizadas nos primeiros segundos após o ocorrido podem fazer toda diferença entre salvar, ou não salvar, uma vida”, explica Dr. Fábio Strauss.

São exemplos de primeiros socorros que precisam ser aplicados rapidamente: a imersão em água fria logo após queimaduras, para diminuir a temperatura da pele; a manobra que salva de engasgos com leite, alimentos ou pequenos objetos; e também as medidas que retomam a respiração em caso de afogamento.

Compartilhar

Com um a menos durante quase todo o jogo, Goiás vence o líder Inter e deixa a lanterna

Avançar »

Comusa retomou atendimentos presenciais nesta quarta-feira

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*

Turismo
home_central_vertical