Noite desagradável para a dupla Gre-Nal

Mesmo jogando com dois jogadores a mais, durante os últimos 15 minutos, o Grêmio perdeu para o Corinthians por 3 a 2 e volta a ficar perto do Z4. Já o Inter abriu 3 a 0, sofreu novo apagão, desta vez nos últimos 15 minutos, e empatou com o Santos.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A abertura do returno do Campeonato Brasileiro de 2011 foi muito desagradável para a dupla Gre-Nal. Jogando no estádio do Pacaembu, em São Paulo, o Grêmio perdeu para o Corinthians por 3 a 2 e voltou a ficar perto da zona de rebaixamento. Já no Beira-Rio o Inter abriu 3 a 0, mas sofreu três gols, nos últimos 15 minutos, e empatou com o Santos.

São Paulo – Com um horário atípico, 18h, muita gente chegou no Pacaembu com a partida entre Grêmio e Corinthians em andamento. Quem presenciou a partida desde o início via o Grêmio dominar o jogo e criar boas oportunidades.

Com menos de um minuto, o meia Marquinhos chutou cruzado à direita do gol. Em seguida, de novo Marquinhos, desta vez o meia cruzou para a área, mas a bola não desviou em ninguém e foi para fora.

O Corinthians só chegou com perigo aos 9 minutos, quando Alessandro chutou, a bola desviou em Liedson e Victor, mesmo caído, fez grande defesa.

O jogo estava movimentado com as duas equipes impondo forte marcação até que aos 16 minutos o árbitro André Luiz de Freitas Castro (GO) assinalou pênalti de Adilson em Liedson. Na cobrança, Victor pulou no canto certo, mas não alcançou o chute cruzado de Chicão.

O gol desestabilizou o Grêmio e por pouco o Corinthians não ampliou, já que a equipe paulista teve dois gols corretamente anulados por impedimento de Émerson. Os lances invalidados voltaram a acordar o Grêmio e André Lima de cabeça e Julio Cesar em uma bomba de fora da área obrigaram o goleiro Júlio César a defender.

O empate estava amadurecendo e por pouco não saiu nos pés de Escudero. O argentino recebeu ótimo passe de Fernando, mas chutou sem força para outra defesa do goleiro corinthiano. Aos 40 minutos, finalmente a justiça no marcador. André Lima sofreu falta na entrada da área. Douglas cobrou com perfeição no ângulo direito assinalando 1 a 1.

O Grêmio voltou do intervalo com tudo. Aos sete minutos, Escudero chutou forte por cima do gol. Na seqüência, logo que Edcarlos entrou no lugar de Vilson, Douglas quase marcou outro golaço. O camisa 10 mandou um belo chute de longe, mas Júlio César espalmou para escanteio.

Como no futebol “quem não faz, leva” o Corinthians se aproveitou e aos 19 minutos voltou a ficar na frente. Paulinho invadiu a área e chutou forte. Victor chegou a tocar na bola, mas ela acabou entrando.

Três minutos mais tarde, o líder do Brasileirão 2011 ampliou. Depois de linda jogada de Jorge Henrique, a bola sobrou para Ramón que, à queima roupa, concluiu sem defesa para Victor, fazendo 3 a 1.

Os gols derrubaram o Grêmio e a equipe gaúcha já estava ameaçada de sair goleada do Pacaembu. Mas no minuto seguinte, Liedson foi expuslo após falta feia em Edcarlos.

Com um a mais em campo, Celso Roth mexeu no time e partiu para cima. Retirou Escudero e Marquinhos para as entradas de Brandão e Leandro. As trocas rapidamente surtiram efeito. Com mais presença ofensiva, o Grêmio encostou no marcador. Aos 28 minutos, André Lima aproveitou cobrança de escanteio e, de cabeça, empurrou para as redes, diminuindo para 3 a 2.

A pressão tricolor aumentou quando Edenilson fez cera ao sair de campo para ser substituído e levou o segundo amarelo, acabando expulso. O Grêmio foi para o ataque com dois jogadores a mais e encurralou o Corinthians. Parou, entretanto, nas mãos de Júlio César. O goleiro fez duas boas defesas em chutes de André Lima e Rochemback nos minutos finais e garantiu a vitória corinthiana.

Na próxima rodada o Grêmio encara o Atlético-PR, de Renato Portaluppi. O jogo é no domingo, ás 16h, no estádio Olímpico.

Porto Alegre – O Inter iniciou o jogo encaixando a marcação nos jogadores habilidosos da equipe santista e ainda criou oportunidades para marcar. Com Guiñazu e Nei, que cumpriram suspensão no Gre-Nal, o Inter mandava no jogo.

Em cinco minutos de jogo, o lateral Nei já se constituía em um dos principais jogadores da partida. Aos 2min, Nei passou por Durval e recebeu falta dura. Cartão amarelo pro zagueiro. Três minutos depois, passou com facilidade por Léo e cruzou para a zaga afastar. Nei estava impossível. O Santos respondeu com chute de Ganso, aos 6min.

Mas o lance de Ganso não preocupou o Inter, que no lance seguinte abriu o placar com Bolívar. Depois de cobrança de escanteio, Elton cruzou da esquerda e a bola chegou na cabeça do “Genaral”, que concluiu para abrir o placar.

Com 1a 0 para o Inter, o Santos tentou pressionar. O jogo era lá e cá até que Damião deixou o dele. Aos 19 minutos, Nei fez jogada sensacional pela direita, passando pela marcação e cruzando na medida no segundo pau para Damião cabecear e marcar seu 35° gol no ano.

O Inter não deixava de atacar e aos 37 minutos Leandro Damião driblou o goleiro e pediu pênalti. O juiz nada marcou. Um minuto depois, Damião foi lançado, matou no peito, ingressou na área e concluiu de pé esquerdo na rede pelo lado do gol. Aos 46min, Danilo pegou rebote de fora da área ao lado do gol, com perigo. Foi o melhor momento santista em toda a etapa.

Na segunda etapa, o Santos voltou com uma mudança. Saiu Pará e entrou Alan Kardec. Com isso, Adriano foi para a lateral, enquanto Alan Kardec foi para o ataque com Borges. Essa dupla ainda iria incomodar muito o Inter nos minutos finais.

Com dois minutos de segundo tempo, o primeiro erro grave da arbitragem contra o Inter. Dellatorre fez grande jogada pela esquerda, entrou na área e foi derrubado por Edu Dracena. Pênalti claro não marcado pelo juiz, que ainda advertiu o atacante colorado com o cartão amarelo.

O Santos tentou avançar, pressionando o Inter, que se fechava bem e tinha generosos espaços para os contra-ataques. Aos 12 minutos, Andrezinho cobrou escanteio e Damião cabeceou com muita força ao lado do gol. Quatro minutos depois, Kléber arrancou pela esquerda e cruzou bem para Dellatorre concluir de cabeça por cima.

Aos 20 minutos, um erro imperdoável do auxiliar. Andrezinho dominou e fez lindo passe para Elton, que invadiu a área e concluiu na saída do goleiro para fazer o terceiro gol. Porém, o bandeira anulou o que seria o primeiro gol do volante em um Brasileirão assinalando impedimento.

Mas aos 25 minutos, depois de escanteio, Bolívar foi levemente puxado por Edu Dracena e o árbitro marcou pênalti. Na cobrança, Oscar cobrou bem no cantinho e o Inter chegou ao terceiro gol. Oscar alcançou o seu sexto gol no Brasileirão.

O terceiro gol colorado fez o torcedor já fazer contas e acreditar até mesmo no título. Gritos de Nei e até olé puderam ser ouvidos no Gigante.

Só que não é por acidente que o Santos é o atual campeão da Taça Libertadores. A prova disso, foi que em 10 minutos, o Santos conseguiu uma reação inacreditável e chegou ao empate.

Aos 31 minutos, Borges recebeu cruzamento da direita, se antecipou de Bolívar e marcou o primeiro. Aos 35 minutos, Borges fez uma linda jogada, driblou Índio e cruzou para Alan Kardec, novamente antecipando-se a Bolívar, fazer o segundo.

O castigo para o técnico Dorival Júnior, que retirou Dellatorre, Andrezinho e Oscar, veio aos 41 minutos. Alá Neymar, Borges entrou a dribles na área, contou com uma furada de Bolívar e concluiu no cantinho, transformando olé em vaias.

A pane colorada era tanta, que três minutos depois Neymar recebeu pela esquerda, entrou na área e bateu ao lado do gol com perigo.

Na próxima rodada, o Colorado vai até o estádio Presidente Vargas, onde no domingo, 04, enfrenta o Ceará.

Criação novohamburgo.org

Compartilhar

Depois do Gre-Nal, confronto é contra paulistas

Avançar »

Renato Gaúcho não é mais o técnico do Atlético-PR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*