Grêmio perde novamente para a Católica e também fica fora

Sobrou valentia, faltou qualidade: derrota por 1 a 0 no Chile termina com o sonho tricolor de vencer a América pela terceira vez.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

O imortal, morreu. Acredite! Foi nesta quarta-feira, dia 04. O Grêmio perdeu para o Universidad Católica por 1 a 0 e está eliminando da Libertadores 2011.

Leia Mais

Inter dá pane no Beira-Rio e zebra amarela e preta entra em campo

A derrota evidência a deficiência do elenco montado pela direção para a disputa da principal competição da temporada. No estádio San Carlos de Apoquindo, em Santiago, no Chile, o Grêmio iniciou o jogo com a desvantagem no confronto, com a derrota nos pênaltis do Gre-Nal como saldo e sem sete jogadores titulares.

Mesmo com todos esses prejuízos, o técnico Renato Gaúcho resolveu deixar a revelação Leandro no banco para colocar o atacante Lins. A invenção de última hora de Renato não surtiu efeito e o Grêmio passou a primeira etapa controlando o jogo, mas sem conseguir alguma jogada aguda.

Sem a velocidade de Leandro, o meia Douglas ficou sobrecarregado e sem companhia do atacante titular não conseguiu levar perigo ao gol da católica. Assim, o Grêmio só chegava na bola parada ou em chutes de longa distância. E foi justamente assim que o camisa 10, aos 36 minutos, recebeu na intermediaria e chutou por cima, criando a melhor oportunidade do Grêmio no primeiro tempo.

Vendo a fragilidade do Tricolor, o Universidad Católica cresceu e através de Pratto, carrasco tricolor na partida do Olímpico, teve duas oportunidades para abrir o placar. Na primeira ele arriscou de fora da área e levou perigo. Na segunda, acertou uma forte cabeçada que obrigou Marcelo Grohe a fazer uma grande defesa.

Na segunda etapa o Grêmio voltou igual, mas o Católica mudou a postura. Adiantando a marcação e liberando os laterais, os chilenos dominaram o jogo, mas ficaram mais vulneráveis na sua defesa.

E foi justamente em uma falha de marcação chilena que o Grêmio quase saiu na frente. Aos 16 minutos, Vilson arrancou pelo meio e toca para Fernando. O volante domina e cruza para Júnior Viçosa finalizar de vôleio. A bola tinha o endereço certo, mas Valenzuela, em cima da linha, cabeceou e salvou o gol da esperança Tricolor.

O lance assustou a Universidad Católica, que voltou a adotar a tática da primeira etapa. Vendo o recuo, Renato Gaúcho chamou Leandro e colocou o atacante no lugar do zagueiro Rafa Marques.

Com a entrada de Leandro o Grêmio passou a ter jogadas de flanco, muitas vezes conquistando faltas laterais. Só que sem a presença do volante Rochemback, especialista nessa cobrança, o tricolor não aproveitou nenhuma oportunidade.

No fim do jogo, o técnico Renato Gaúcho abriu a equipe, trocando Lins e Mário Fernandes por Escudero e Vinícius Pacheco. As alterações não beneficiaram o Grêmio, pois com o time exposto, a Universidad Católica contra-atacou sempre com mais atacantes que defensores gremistas.

E foi justamente em um contra-ataque e na posição onde estaria Mário Fernandes, que Silva recebeu livre para cruzar na medida para Mirosevic cabecear e dar a vitória para a Católica.

FOTO: reprodução / GloboEsporte.com

Compartilhar

Dia para o Inter confirmar o bom momento e o Grêmio a imortalidade

Avançar »

sem comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*