Mortandade atingiu 5 mil peixes

Número de animais mortos no Rio dos Sinos, em Novo Hamburgo, foi considerado pequeno em relação às outras mortandades

A nova mortandade de peixes registrada no Rio dos Sinos nesta quarta-feira foi um pouco menor do que as anteriores. Segundo apurou a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), quase 5 mil peixes morreram no Rio dos Sinos no trecho entre Novo Hamburgo e São Leopoldo.

Como havia adiantado o diretor técnico da Fepam, Jackson Müller, a nova mortandade foi causada por uma carga orgânica que chegou ao rio pelos arroios Pampa, Luiz Rau e Gauchinho. A forte chuva da quarta-feira depositou lixo no rio e, em razão da baixa vazão do rio, a poluição matou os peixes.

O engenheiro químico da Fepam Luís Fernando Guaragni voltou a alertar sobre a possibilidade de novas mortandades acontecerem. O nível do Rio dos Sinos atualmente é considerado crítico, atingindo a marca de 2,59 metros.

Outro drama é o nível de oxigênio, que atualmente é de 1 miligrama por litro de água, enquanto o ideal seria de 5 miligramas por litro. Técnicos do Laboratório e do Serviço de Emergência Ambiental (Seamb) vêm efetuando medições do nível de oxigênio dissolvido no rio dos Sinos. O equipamento de injeção de oxigênio continua ligado.

Compartilhar

Mais um pedágio no litoral gaúcho

Avançar »

Prêmios para quem compra na cidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*