Jorge Fossati é apresentado no Beira Rio: “O Inter sabe antes que eu como ganhar Libertadores”

Treinador uruguaio chega exaltando desafio de trabalhar no Brasil e promete time que preza pela coletividade. Confira os principais trechos da primeira entrevista coletiva.

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org

O time do Inter em 2010 fala “portunhol”. O novo treinador colorado é uruguaio e pela primeira vez dirige um time do Brasil. Quebrar o tabu de estrangeiros que não deram certo no futebol brasileiro é o desafio de Jorge Fossati.

O técnico campeão da Recopa e da Sul-Americana com a LDU em 2009 foi apresentado nesta segunda-feira, dia 14, no Estádio Beira Rio e destacou a grandeza do clube. “O Inter é um dos maiores do Brasil e sendo assim, do mundo.” Fossati demonstrou familiaridade com a língua portuguesa, mas pediu desculpas por ter praticado pouco nos últimos anos e avisou: “hoje vocês vão ouvir um portunhol”. Ele confirmou que tinha proposta para trabalhar na seleção do Equador.

Aos 57 anos, Jorge Fossati acumula no currículo importantes títulos à frente de clubes sul-americanos em 16 anos de carreira como treinador e uma passagem pela seleção do Uruguai. Além das recentes conquistas com os equatorianos da LDU, com quem venceu também o campeonato equatoriano, foi campeão no Uruguai, pelo Peñarol, e no Paraguai, com o Cerro Porteño. Foi goleiro por 20 anos, vestiu a celeste da Seleção Uruguaia e no Brasil jogou no Avaí e Coritiba. Trabalhou com os treinadores brasileiros Paulo César Carpeggiani e Luiz Felipe Scolari.

TÍTULOS COMO TÉCNICO

– Campeonato Uruguaio – Peñarol (1996)
– Campeonato Paraguaio – Cerro Porteño (1997)
– Campeonato Equatoriano – LDU (2003)
– Liga do Qatar – Al-Sadd (2007)
– Recopa Sul-Americana – LDU (2009)
– Copa Sul-Americana – LDU (2009)

ENTREVISTA COLETIVA

fossati_direcaoPassava das 11 horas da manhã quando Fossati foi apresentado aos jornalistas na sala de conferências do Beira Rio. Em sua primeira entrevista coletiva como treinador colorado, não se furtou a responder as perguntas.

Ao seu lado estavam o vice-presidente de futebol Fernando Carvalho, o presidente Vitório Piffero e o preparador físico Alejandro Valenzuela, que o acompanha nos clubes em que trabalha.

Confira os principais trechos:

INTER, O NOVO DESAFIO – “É uma alegria começar esta nova etapa na minha carreira. Fico muito agradecido por esta oportunidade. Agradeço a confiança depositada pela diretoria do Inter. Podem ter a certeza que faremos tudo o que pudermos para manter o Inter no caminho da grandeza. Tomara que 2010 seja um ano cheio de conquistas”.

O ACERTO – “Tivemos uma reunião no Uruguai. A minha vontade de assumir o Inter aumentou ainda mais após a reunião. A maneira como os dirigentes olham para o futuro me motivou. Isso foi definitivo. Eu tinha uma proposta da Seleção do Equador, por isso pedi 48 horas para decidir esta situação”.

LIBERTADORES – “O Inter já sabe como é ganhar uma Libertadores. O Inter já conhece o caminho, com certeza pensa da mesma maneira do que eu. Para ganhar este título, é preciso primeiro ter unidade, As diferentes partes do clube devem olhar para o mesmo destino. Todos devem ter a mesma vontade de chegar lá. Se conseguirmos que todos tenham a mesma vontade de vencer, estaremos mais perto do sucesso. O Inter tem uma torcida maravilhosa e tudo para fazer uma grande Libertadores”.

PRIMEIRO PASSO – “A primeira coisa que a gente faz é estudar as qualidades do grupo. Depois, conversamos com a diretoria sobre possíveis contratações. Mas por enquanto não sugeri nenhuma contratação, isso será mais para a frente, quando eu tiver um conhecimento mais profundo do Inter”.

SISTEMA TÁTICO – “Tenho uma ideia que vou tentar passar para os jogadores. O sistema tático ainda não tenho. Tem um sistema que acredito um pouco mais, mas se for preciso mudar, não tem problema nenhum. É preciso adaptar o sistema às qualidades dos jogadores. A qualidade do grupo nos possibilita distribuir de diferentes formas os jogadores em campo. O importante é a estratégia que vamos ter jogo a jogo”.

COLETIVIDADE – “O time é a estrela. É ele que vai fazer brilhar os destaques individuais. Quem não joga pelo time não tem vez comigo”.

A IMPORTÂNCIA DA FAMÍLIA – “É importante saber sobre a vida pessoal do jogador que desejar falar. Podemos sugerir coisas para ajudar eles. Se o jogador está bem na vida, está bem no campo. Mas isso vamos vendo aos poucos, não é algo que se impõe. A medida que olharmos neles a disposição para falar, procuraremos ajudá-los. Eles têm a obrigação de dar de tudo para fazer as coisas bem. O time está acima de qualquer coisa”.

PREPARAÇÃO FÍSICA – “Trabalho há muitos anos com o Alejandro Valenzuela . Consideramos que tudo tem que estar inserido em um mesmo treinamento, a parte física e psicológica. Ele sabe exatamente o que quero. Priorizo este trabalho em conjunto. Não vou desaproveitar nenhum tipo de ajuda. É possível escutar qualquer um dos profissionais que já trabalhe no Inter”.

METAS – “Temos que chegar no final de janeiro com entrosamento total, para estrear bem nos jogos oficiais. Eu retorno nesta segunda para Montevidéu. Preciso descansar para recarregar baterias para se apresentar bem no dia 4 de janeiro. Realizaremos exames médicos dias 4 e 5 para os jogadores e no dia 6 começa a preparação”.

ADAPTAÇÃO – “Já morei no Brasil durante quatro anos e fui muito feliz. Agora quero aproveitar esta nova oportunidade. Vai ser normal morar em Porto Algre, pois é uma cidade que tem muitas semelhanças com Montevidéu”.

Com informação da rádio Gaúcha e Imprensa S.C. Internacional

FOTOS: divulgação / S.C. Internacional

Compartilhar

Rivalidade acirrada: campanha “Grêmio entrega” toma conta da Internet

Avançar »

EMPATE: Dupla Gre-Nal têm juntos 6% dos torcedores brasileiros

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*