• Visualizações 6347

Libertadores 2010: Na raça, Inter deixa para trás atual campeão da América

Colorados perdem para Estudiantes na Argentina em jogo emocionante, mas ficam com a vaga nas semifinais para enfrentar o São Paulo. Veja como foi a classificação dramática.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

“Vocês não gostam de nada?!” O questionamento do técnico Jorge Fossati à imprensa ilustra bem como foi a classificação do Inter à semifinais da Libertadores 2010.

No sufoco, os colorados deixaram para trás o atual campeão da América e provaram que aprenderam de vez o sentido das palavras “copeiro” e “raça”. Eram 43 minutos do segundo tempo quando Giuliano fez o gol que garantiu a vaga para brigar com o São Paulo de Fernandão para ser finalista da competição continental.

Em Quilmes, na Argentina, o Inter levou 2 a 1 do Estudiantes nesta quinta-feira, dia 20, e garantiu a classificação pelo saldo qualificado. Em Porto Alegre, vencera por 1 a 0 na semana passada.

PARADA PARA A COPA – Os colorados mais ansiosos terão agora que esperar mais de um mês pelo momento revival da final da Libertadores de 2006, quando sagraram-se campeões. Inter e São Paulo só entram em campo pelas semifinais no dia 28 de julho, depois da Copa do Mundo da África do Sul. O primeiro jogo será no Estádio Beira Rio e a decisão da vaga no Morumbi, dia 04 de agosto.

Antes disso, no entanto, tem uma prévia.  Neste domingo, 23, a rivalidade entre gaúchos e paulistas se acirra. Os semifinalistas da Libertadores enfrentam-se nos domínios colorados, pelo Campeonato Brasileiro, às 16 horas.

O Jogo

Estudiantes e Inter entraram em campo com um objetivo em comum: marcar gols. Só que a equipe brasileira tinha a meta para obrigar os argentinos a fazer três se quisesse se classificar.

Sendo assim, os gaúchos foram a campo com uma formação defensiva. Três zagueiros, seis no meio-campo e apenas Alecsandro no ataque. Já os argentinos com a proposta de atacar e encurralar o adversário no seu campo de defesa. E quase deu certo logo aos 12 min. Verón solta uma bomba da entrada da área, a bola faz uma curva e quase engana Pato Abbondanzieri, que espalma bem para o canto.

Aos 19 min, sim, parecia que os donos da casa encaminhariam a classificação com facilidade. Verón – sempre ele – recebe com liberdade, levanta a cabeça e descola um lindo lançamento para González dentro da área, Abbondanzieri sai mal do gol e o atacante toca por cima para fazer 1 a 0.

O gol motivou a torcida e desconcentrou os brasileiros. Tanto é que apenas um minuto depois, a zaga colorada falhou novamente e sofreu o segundo gol. Após cobrança de lateral da esquerda, Pérez puxa para o meio e acerta uma bomba no ângulo esquerdo de Abbondanzieri. Com o 2 a 0, o campeão da América é quem passava às semifinais.

Somente aos 29 min, o Inter consegue finalizar com perigo ao gol de Orión, após boa troca de passes, o atacante Alecsandro aparece para finalizar, mas, precionado, o chute sai nas mãos do arqueiro argentino. A última chance do primeiro tempo também foi dos gaúchos. Kleber cruza para Sorondo desviar, a bola bate na defesa e sobra para Sandro que de primeira solta uma bomba. No meio do caminho, Cellay corta.

SEGUNDO TEMPO – Fossati voltou com a mesma equipe para a segunda etapa. Já o técnico adversário Alejandro Saballa retirou um homem de frente para promover a entrada do lateral Angeleri e reforçar sua defesa. E mesmo com um jogador a menos no ataque, o Estudiantes é quem assusta primeiro. Boselli recebe na esquerda, finta para o meio e chuta forte para defesa de Abbondanzieri.

Aos 11 min, o Inter faz o gol que daria anteciparia a classificação, mas o auxiliar assinala impedimento de Alecsandro, duvidoso. A pressão, então, começa. Os colorados conseguem uma falta na frente da área. Andrezinho cobra falta direto para o gol e Orión é obrigado a dar um soco na bola para afastar o perigo.

O Inter muda para tentar o gol salvador. Sai o lateral-direito Nei e entra Walter. O jogo é lá e cá. Aos 25min, Verón recebe com liberdade na meia-esquerda, ajeita para o pé direito e solta a bomba. A bola sai perigosamente á esquerda do gol. A resposta vem um minuto depois, quando Sandro arrisca de fora da área para firme defesa de Orión.

Aos 29 min, o confronto Orión X Andrezinho se estabeleceu novamente, quando o meia colorado cobra falta, sobre a barreira, e o goleiro argentino consegue espalmar. Dois minutos depois, o time argentino responde. Sosa chuta de fora da área e a bola passa muito perto do travessão do gol de Pato.

Quando o relógio marcava 31 minutos, Jorge Fossati põe em campo o “Salvador da Pátria”. O jovem Giuliano entrou no lugar do apagado D’Alessandro. Com os meninos em campo, o Inter ataca com velocidade e aos 40 min, depois de uma troca de passes com Andrezinho, Walter fica livre dentro da área, mas chuta de pé esquerdo por cima do travessão de Orión.

Aos 43min, quando os colorados que assistiam a partida pela televisão já tinham desistido, novamente Andrezinho recebe na entrada da área e desta vez deixa Giuliano na cara de Orión. O garoto só tem o trabalho de tocar na saída do goleiro. A bola morre devagarzinho no fundo do gol: 2 a 1, Inter classificado, Giuliano às lagrimas.

PANCADARIA – Depois do apito final do árbitro Oscar Ruiz, uma briga entre o zagueiro Desábato e o goleiro reserva Lauro gerou pancadaria generalizada. A turma do “deixa disso” entrou em campo, mas não conseguiu evitar uma cabeçada do zagueiro argentino em Pato Abbondanzieri. A confusão se estendeu até o vestiário colorado e, em seguida, os ânimos foram contidos. Não os da torcida vermelho, que comemorou a classificação!

Ficha técnica

Estudiantes (2): Orión, Clemente Rodriguez, Cellay, Desábato e Ré; Pérez (Benitéz), Sanchéz, Verón e Sosa; Boselli e Gonzaléz (Angeleri). Técnico: Alejandro Saballa.

Internacional (1): Abbondanzieri, Bolívar, Sorondo e Fabiano Eller; Nei (Walter), Sandro, Guiñazu, Andrezinho e Kléber; D’Alessandro (Giuliano) e Alecssandro. Técnico: Jorge Fossati.

Gol: Gonzaléz, aos 18 minutos, Pérez aos 21 do primeiro tempo; Guiliano, aos 43 do segundo tempo.

Cartões amarelos: Boselli, Verón (EST), Sandro, D’Alessandro, Guiñazu, Sorondo (INT).

Estádio: Centenário, em Quilmes (Argentina). Árbitro: Oscar Ruiz (Colômbia). Auxiliares: Abraham González (Colômbia) e Humberto Clavijo (Colômbia).

FOTO: reprodução / AFP

Compartilhar

Copa do Brasil 2010: Molecada do Santos elimina o Grêmio

Avançar »

Brasileirão 2010: Inter é derrotado no aperitivo da Libertadores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*