• Visualizações 740

Nas oitavas, Brasil pega último algoz ou freguês histórico

Um dos dois será adversário do Brasil nas oitavas de final, caso a equipe de Felipão confirme passagem para a próxima fase. Holandeses têm mesmo número de pontos, seis, mas somam mais saldo de gols que os chilenos.

Da Redação (redacao@novohamburgo.org) (Siga no Twitter)

A Espanha, atual campeã do mundo, saiu do caminho do Brasil até o hexacampeonato ao perder nesta quarta-feira, para o Chile, a segunda de duas partidas disputadas na Copa de 2014 e ser eliminada com uma rodada de antecedência.

Como a Austrália, outra que perdeu os dois jogos que realizou, também está fora, Chile e Holanda enfrentam-se na próxima segunda-feira, na Arena Corinthians, para decidir a liderança do grupo B, já classificados.

Um dos dois será o adversário do Brasil nas oitavas de final, caso a equipe de Felipão confirme a passagem para a próxima fase. Os holandeses têm o mesmo número de pontos, seis, mas somam mais saldo de gols que os chilenos e jogarão por um empate pelo primeiro lugar. Portanto, os europeus são favoritos para terminarem na liderança.

Trauma e equilíbrio

E podem repetir duelo da Copa passada com o Brasil. A Laranja Mecânica é a responsável pela última tragédia verde-amarela em mundiais, nas quartas de final da África do Sul-2010. Naquela ocasião, o time então comandado por Dunga saiu na frente com Kaká, mas levou a virada com dois gols de Sneijder e voltou pra casa mais cedo.

Outros três jogos decisivos entre as duas seleções foram protagonizados em copas: o Brasil avançou em duas oportunidades, nas quartas de final dos Estados Unidos-1994 e nas semis da França-1998 e a Holanda em outra, nas semifinais da Alemanha-1974.

Também há equilíbrio total no retrospecto geral: em 11 partidas ao longo da história, cada um venceu três vezes e houve cinco empates.

As chances de a seleção brasileira ficar em segundo no grupo A e pegar os holandeses são grandes. Isso pode acontecer mesmo se o time da casa, que tem quatro pontos, ganhar de Camarões, segunda que vem, em Brasília, mas o México, com os mesmos quatro pontos, bater a Croácia, no mesmo dia, no Recife e superar o saldo do Brasil, que hoje leva vantagem sobre o concorrente por um gol.

O encontro ainda pode ocorrer, claro, se a Holanda for a segunda colocada de sua chave e o Brasil for líder da sua.

Freguesia

Caso o favoritismo se confirme, a seleção da casa derrote Camarões com folga, e a Holanda não perca na última rodada para o Chile, Neymar e cia terão pela frente um velho freguês.

Brasileiros e chilenos enfrentaram-se 68 vezes desde o primeiro jogo entre eles, em 1916, na Argentina e a equipe andina venceu apenas sete, empatou 13 e perdeu nada menos que 48 partidas.

Na Copa, o aproveitamento canarinho é perfeito, três desafios em fases eliminatórias e três sucessos. A seleção superou o Chile nas semis de 1962, na casa do adversário, nas oitavas de final de 1998 e nas oitavas de 2010.

Informações de terra/G1

FOTO: reprodução / AFP

Compartilhar

“O time jogou melhor do que contra a Croácia”, diz Felipão após empate com o México

Avançar »

Beira-Rio está entre os estádios com melhor média de gols da Copa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*