• Visualizações 498

“Ótimo que o Brasil se sinta favorito. Já foi assim, e vencemos”, diz Lugano

Na véspera da semifinal, zagueiro-capitão cita “Maracanazo” da Copa de 1950 e ressalta grandeza celeste: “Brasil é Brasil, mas atenção: Uruguai é Uruguai”.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Por mais que nos últimos 63 anos o Brasil já tenha vencido o Uruguai em partidas decisivas fora e em casa – como na final da Copa América de 1989 e a da última rodada das eliminatórias que garantiu a Seleção na Copa do Mundo de 1994, em 1993 – as lembranças do “Maracanazo” de 1950 parecem inevitáveis.

Imagine, então, para os uruguaios. Na véspera de encarar o Brasil no Mineirão pela semifinal da Copa das Confederações, o zagueiro Lugano faz questão de resgatar esse “fantasma” – dos brasileiros – e destacar a grandeza celeste.

Em entrevista ao site da Fifa nesta terça-feira, o defensor avisa que a equipe de Óscar Tabárez não se intimidará com o peso de um estádio inteiro torcendo contra. Para Lugano, o Uruguai até gosta do papel de antagonista e está pronto para estragar a festa outra vez.

Se existe algum o sentimento de inferioridade, ele passa longe da fala de Lugano. Em seu discurso, só há lugar para exaltar as conquistas uruguaias, casos das Copas América de 1987 e 2011, em que o Uruguai venceu dentro da Argentina, e de 1983, sem sede única, mas que foi decidida no Brasil, na Fonte Nova, e teve a Celeste como campeã após empate em 1 a 1 com a seleção brasileira.

“Não é apenas o ‘Maracanazo’. Fizemos o mesmo na Copa América e nem eles (Brasil) nem os argentinos foram campeões no Uruguai. É evidente que, na América do Sul, Brasil e Argentina são os grandes, pela quantidade de jogadores e pela infraestrutura, mas se olharmos os títulos, o Uruguai aparece com mais Copas Américas que os dois e mais títulos olímpicos que os brasileiros. Apesar de ser óbvio que somos um país menor e temos que ganhar quatro vezes para que nossos títulos recebam a mesma repercussão que os deles.”

Falando especificamente do atual elenco, do qual vários jogadores fizeram parte do time que ficou em quarto lugar na Copa do Mundo de 2010 e que foi campeão da Copa América, Lugano garante que o desejo de conquistas ainda não acabou.

“Somos uma geração de jogadores que já entrou para a história e queremos seguir nesse caminho. Seria muito bom para nosso futebol chegar à final de uma Copa das Confederações. Já conquistamos muita coisa, mas não nos conformamos.”

“Queremos mais. Enfrentaremos uma equipe que chega em um grande momento. O Brasil é o Brasil, mas, atenção: o Uruguai também é o Uruguai,” alerta.

Brasil e Uruguai se enfrentam às 16 horas desta quarta-feira, no Mineirão,em Belo Horizonte.

 

Informações de globoesporte.com / Fifa

FOTO: reprodução / taringa

Compartilhar

Diante de manifestações, Fifa descarta cancelamento de “Copas”

Avançar »

Apesar da tranquilidade de presidente da Fifa, cresce policiamento na Copa das Confederações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*