• Visualizações 1190

Inter corrige gramado e centraliza campo em reforma do Beira-Rio

 O torcedor ficará mais próximo ao campo, as arquibancadas estarão a 15 metros, em média. A bandeirinha do escanteio é ainda mais próxima ao fã: apenas oito metros.

Da Redação redação@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Mudança. Esse é o sinônimo do novo Beira-Rio. Gramado, cobertura, escadarias, telões de LED, todos estes quesitos farão parte do visual que o torcedor terá a partir de setembro de 2013, quando o estádio será reaberto.

A primeira alteração diz respeito ao gramado. O campo de jogo ficará mais centralizado em relação ao local que estava. Ficava mais próximo à Avenida Edvaldo Pereira Paiva e, nesta troca de gramado, está sendo feito o reposicionamento, como informa o engenheiro da Andrade Gutierrez, responsável pela reforma do Beira-Rio, Roberto Maia.

A grama, aliás, está sendo toda retirada para ser reaproveitada em campos de golfe de Porto Alegre. O novo campo, que receberá a grama Bermuda e contará com sistema de irrigação a vácuo, deve ter finalizado o replantio até o começo de março.

“A fibra será misturada com 17 tipos de areia para depois ficar melhor fixada na grama. O gramado será replantado entre final de fevereiro e início de março”, completa Rodrigo Bueno, também engenheiro da construtora.

Além disso, o torcedor ficará mais próximo ao campo. As arquibancadas estarão a 15 metros, em média. A bandeirinha do escanteio, no entanto, é ainda mais próxima ao fã: apenas oito metros. A divisória entre arquibancada e campo será apenas o muro de concreto, sem fosso ou um acrílico, lembrando os moldes dos estádios europeus.

Para torcedor deixar o estádio mais rápido

A demora a deixar o Beira-Rio após o término da partida também terminará. Para atender às exigências da Fifa, que diz que o escoamento precisa ocorrer em oito minutos, além das rampas já existentes, que passarão por uma revitalização e ficarão protegidas pela cobertura metálica, dividirão o público com 16 torres de circulação.

Cobertura limpa e Beira-Rio mais alto

A principal atração do estádio, a cobertura, começa a ser modelada em janeiro e acompanhará a obra até dezembro, quando o Beira-Rio ficará pronto. Será uma das poucas partes que não estarão prontas quando o Inter voltar a atuar em sua residência.

Ela é revestida por 65 módulos, com durabilidade de 30 anos e que resiste a temperaturas entre – 230° C a 260° C. A membrana que a reveste tem uma característica autolimpante e a chuva é suficiente para lavá-la. Graças à cobertura, o estádio aumentará de tamanho em 14m (deixará de ter 24m e passará a 38m). Dois telões de alta definição de LED serão sustentados pela cobertura metálica.

Para acolher todos os torcedores, a casa colorada também se adapta. Os obesos terão 80 lugares para ficarem sentados. Duas áreas serão destinadas a portadores de necessidades especiais, com problemas de mobilidade ou cadeirantes.

O edifício-garagem será dividido em três pavimentos e poderá receber até 3 mil automóveis. Um dos setores é descoberto. Uma passarela leva do estacionamento à Área VIP.

O estádio contará com 70 camarotes (dos quais quatro pertencerão ao clube neste período) – com capacidade para 16 pessoas, cinco mil assentos VIPs, na parte mais central do campo, onde ficava a social, e os 55 skyboxes, que serão uma área nobre, na parte mais alta do estádio, na antiga marquise, próximo às folhas metálicas que cobrirão o Beira-Rio – que abrigará até 24 pessoas cada.

Informações de globoesporte.com

FOTO: Tomás Hammes / globoesporte.com

Compartilhar

Tênis: Copa Unimed VS, agora em São Leopoldo, já tem 240 inscritos

Avançar »

Brasileiros na Antártica comemoram vitória do Corinthians no Mundial

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*