Superclássico: Com a corda no pescoço, Brasil e Argentina disputam taça em Belém

Torneio será decidido na noite desta quarta-feira, no estádio do Mangueirão, é amistoso, mas vale troféu Nicolás Leoz. .

Felipe de Oliveira felipe@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Tudo bem, é só um torneio amistoso. É verdade. Mas trata-se do “Superclássico das Américas”. Brasil e Argentina entram em campo nesta quarta-feira, dia 28, para disputar o troféu Nicolás Leoz.

Leia Mais

Superclássico: Brasil e Argentina começam disputa por troféu em igualdade /

Uma vitória seria bem-vinda para tirar a corda do pescoço de duas seleções contestadas desde a Copa do Mundo de 2010, quando foram eliminadas nas quartas-de-final. E mais: desde 2009, na Copa das Confederações, os brasileiros não levantam uma taça; os argentinos estão há tempo sem título, desde a Copa América de 1993.

E na semana passada um novo ingrediente deu ainda mais importância para o clássico. O time do técnico Mano Menezes amarga a segunda pior colocação da história do ranking da Fifa, em sétimo. “Los Hermanos” aparecem apenas em 10º lugar.

O palco para o duelo dos desesperados é o estádio do Mangueirão, em Belém, no Pará. A bola rola a partir das 21h50min e a TV Globo transmite ao vivo para todo o país. Depois do empate no primeiro jogo, em Córdoba, na Argentina, há duas semanas, quem vencer fica com o troféu. Uma nova igualdade no placar leva a decisão para os pênaltis.

Novidades x mistério

Mano Menezes vai dar oportunidades aos jovens. Em relação à primeira partida, sai Kléber (Inter) da lateral-esquerda e entra Cortês (Botafogo). No meio, na contenção, Rômulo (Vasco) entrou na vaga de Paulinho (Corinthians), cortado por lesão.

Na armação, Lucas (São Paulo) fica com a vaga que foi de Renato Abreu (Flamengo), que nem foi convocado dessa vez. E no ataque Borges, artilheiro do Brasileirão 2011, com 19 gols, entra no lugar de Leandro Damião (Inter), que, machucado, ficou fora da convocação.

Já o técnico Alejandro Sabella prefere fazer mistério na Argentina. Como de costume, fez treino fechado à imprensa. Disse, no entanto, que pode escalar dois dos três “brasileiros” do elenco. Por uma brecha no regulamento, convocou jogadores que atuam no Brasil: Guiñazu e Bolatti, do Inter, e Montillo, do Cruzeiro. O mais provável é que um dos volantes colorados e o meia da Raposa sejam os escolhidos. Bolatti ficaria como opção.

Com informações de GloboEsporte.com

FOTO: Mowa Press

Compartilhar

Procurador manda investigar Ricardo Teixeira novamente

Avançar »

Superclássico: Enfim, Mano vence grande adversário e Brasil levanta taça

Um comentário

  1. samuel da silva oliveira
    28 de setembro de 2011

    será se o mano fez uma certa escalação, sem ter colocado o cicero?

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*