Inter: E agora? Dorival, Autuori, Nelsinho, Oswaldo de Oliveira ou Ney Franco?

ENQUETE! Quem será o novo técnico colorado? Nomes do exterior ganham força e demissão de Dorival Junior abre caminho.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Paulo Roberto Falcão foi demitido do Internacional há 21 dias, e o clube ainda não definiu quem será o novo técnico. O vice de futebol, Luís Anápio Gomes, deu indícios de que o nome pode vir de fora do país.

Os cogitados são Paulo Autuori, atualmente no Al-Rayyan, do Catar, Nelsinho Batista, do Kashiwa Reysol, do Japão, Oswaldo de Oliveira, do Kashima Antlers, também do Japão, e Ney Franco, que está na Colômbia comandando a seleção brasileira no Mundial Sub-20.

Dorival Júnior, demitido no domingo pelo Atlético-MG, segue cotado. No entanto, não está entre os primeiros da lista para assumir o cargo. “O Dorival é um nome interessante e foi cogitado no início, mas a nossa prioridade é a mesma de ontem [sábado], de anteontem [sexta]… Em cima dela é que estamos fazendo um trabalho. Há algumas questões a definir”, declarou Anápio.

Confira abaixo o histórico dos técnicos que postulam o cargo para comandar o Inter neste segundo semestre, elaborado pelo ClicEsportes.

Paulo Autuori

O treinador já passou pelo Inter em 1999. Em 50 partidas, obteve 28 vitórias, 12 empates e 10 derrotas. O aproveitamento do técnico no comando colorado foi de 64%. Nos jogos em que esteve à frente da equipe, foram 85 gols pró e 44 gols contra.

Autuori está desde 2009 no Catar treinando o Al-Rayyan. Seu último time no Brasil foi o Grêmio, na mesma temporada. Após uma longa espera, chegou ao Olímpico para levar o time ao tricampeonato da Libertadores. Acabou eliminado nas semifinais pelo Cruzeiro.

O empecilho seria a multa rescisória de Autuori. Com contrato até maio de 2012, para se desvincular do clube, o Inter precisaria pagar US$ 2 milhões, o que a direção colorada rejeita fazer.

Os principais títulos de Autuori são a Libertadores de 1997, pelo Cruzeiro, a Libertadores e o Mundial de 2005, pelo São Paulo e o Brasileiro de 1995, pelo Botafogo.

Nelsinho Batista

Está desde 2009 no Kashiwa Reysol. Tem contrato firmado com o clube japonês até o final de 2012. Assim como Autuori, Nelsinho faria sua segunda passagem pelo Beira-Rio. Seu primeiro trabalho no Inter durou 153 dias, em 1996.

Na ocasião, o técnico pediu demissão para acertar com o Corinthians, dizendo que “estava indo para um clube grande”. A justificativa para a saída irritou os dirigentes e torcedores.

Em 27 jogos à frente do Inter, Nelsinho venceu 10 partidas, empatou nove e perdeu oito. Teve um aproveitamento de 48%. Seu último jogo foi uma derrota por 2 a 1 em Gre-Nal pelo Brasileiro.

No currículo do treinador, há um título do Brasileiro, pelo Corinthians, em 1990, e uma Copa do Brasil, pelo Sport, em 2008. Em 2007, foi rebaixado com o Timão para a Série B.

Oswaldo de Oliveira

No retorno do Inter da Copa Audi, o técnico foi um dos descartados para assumir o clube. Na época, a direção garantiu, inclusive, que nem o havia procurado. Está no Japão desde 2007. Já conquistou três títulos do Campeonato Japonês (2007, 2008 e 2009) pelo Kashima Antlers. No Brasil, teve êxito ao treinar o Corinthians, conquistando o Brasileirão de 1999 e o Mundial de Clubes em 2000.

Oswaldo ainda treinou Vasco, Fluminense, São Paulo, Flamengo, retornou ao Corinthians, Vitória, Santos, Al-Ahly, do Catar, Fluminense, novamente, Cruzeiro até o Kashima.

Ney Franco

Na última sexta-feira, o diretor técnico do Inter, Fernandão, declarou que não conversou com o treinador da seleção brasileira Sub-20 que disputa o Mundial da categoria, na Colômbia. O próprio Ney descartou a possibilidade de assumir a equipe. Admitiu que foi sondado pelo Inter, mas afirmou que não poderia aceitar o convite.

O primeiro trabalho de sucesso foi no comando do Ipatinga, de Minas Gerais, quando conquistou o título do estadual em 2005. No ano seguinte, levantou o título da Copa do Brasil com o Flamengo e, em 2007, o do Campeonato Carioca. Pelo Rubro-Negro, em 74 jogos, venceu 33, empatou 18 e perdeu 23 – um aproveitamento de 52,7% -, com 108 gols a favor e 101 contra.

Ney comandou também Atlético-PR, Botafogo e Coritiba, até ser contratado pela CBF. Além de treinar a seleção Sub-20, é coordenador das seleções de base.

Dorival Júnior

Por várias semanas, foi o técnico preferido para assumir o Inter. O Atlético-MG, no entanto, resistia em liberá-lo. O time gaúcho não se propôs a pagar a multa, esperando a demissão, que ocorreu no último domingo. Apesar de não ter ido bem no Galo, é um dos treinadores mais respeitados do Brasil.

No Santos, montou o time que encantou o país em 2010, com Arouca, Wesley, Ganso, Robinho, Neymar e André. Conquistou o título do Paulistão e da Copa do Brasil no Peixe. Acabou demitido após uma desavença com Neymar. Após barrar o atacante de cobrar pênalti em partida pelo Brasileirão, o jogador o desrespeitou. O técnico afastou o atacante do time por tempo indeterminado e não queria colocá-lo no clássico diante do Corinthians. Acabou dispensado pela direção por insubordinação.

Em 61 jogos sob seu comando, o Peixe venceu 37, empatou oito e perdeu 16, um aproveitamento de 65%.

E tu, torcedor colorado, o que achas?

[poll]”47”[/poll]

Informações de ClicEsportes

FOTOS: reprodução

Compartilhar

Felipão diz que treinaria o Inter

Avançar »

Recopa Sul-Americana: Inter divulga lista dos inscritos na decisão

2 comentários

  1. Zeidon
    8 de agosto de 2011

    Esquece, pois Paulo Autuori, Ney Franco, Nelsinho Batista e Oswaldo de Oliveira estão empregados, e óbvio que o presidente do Inter tá brincando, mais o treinador e o Dorival, talvez na quinta, deva ser confirmado.

    Responder
  2. Rafael
    9 de agosto de 2011

    Nelsinho Batista?????

    Não, muito obrigado, pode ficar treinando seus “times grandes” lá no japão!!!

    É Dorival Júnior!!!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*