Gauchão 2011: Nos pênaltis, Grêmio é campeão da Taça Piratini

“Imortal” empata nos acréscimos com o Caxias, leva a decisão para as penalidades máximas e conquista primeiro turno do estadual . Título garante vaga na final.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Imortal não morre nem na quarta-feira de cinzas, certo? O Grêmio provou mais uma vez porque ostenta uma imortalidade mais do que centenária. Pelo menos é a explicação que dão os torcedores para o que ocorreu no estádio Olímpico.

Empate nos acréscimos, pênaltis, e título da Taça Piratini nos pênaltis. Emoção para ninguém botar defeito! A conquista do primeiro turno do Gauchão 2011, põe o Tricolor na final da competição e dá tranqüilidade para concentrar-se exclusivamente na Taça Libertadores. Se ganhar também a Taça Farroupilha, o segundo turno, elimina a necessidade de decisão extra.

A imortalidade se revela no título depois de estar perdendo por 2 a 0. Os gols de Itaqui e Gerley, no primeiro tempo, garantiram a dramaticidade. Willian Magrão, ainda na primeira, e Rafael Marques, aos 50 minutos da segunda etapa, levaram a decisão para os pênaltis. Nas cobranças, foi a vez de Victor brilhar, pegar dois e dar a vitória ao Grêmio.

Melhor jogo do campeonato

O jogo começou com o Grêmio sendo surpreendido pela postura ofensiva do Caxias. E logo aos 02 minutos, a equipe Grená tabelou rapidamente e Edenilson esbarrou em Gilson na área. O árbitro Márcio Chagas da Silva entendeu que o choque era normal. Um minuto depois, após cruzamento da direita, Victor sai errado e Everton manda de cabeça para fora. Mais quatro minutos e Lima recebe livre na área. Sozinho, chuta para fora.

O Grêmio conseguiu respirar só aos 18 minutos, quando Gerley se atrapalha e a bola sobra para Rochemback chutar na rede, pelo lado de fora. O lance animou a torcida, mas um minutos depois a pressão do clube da serra foi recompensada com o primeiro gol. Everton, ex-Grêmio e Inter, sofre falta na intermediária. Na cobrança, Itaqui chuta forte, a bola resvala na barreira e acerta o canto esquerdo de Victor, que pula e não acha nada.

Com 1 a 0 contra, a equipe de Renato Gaúcho começou a atacar com sua artilharia aérea. Aos 22 minutos, Rochemback cobra falta na área e Rodolfo manda para o fundo do gol, mas o zagueiro estava impedido e o assistente anula o que seria o gol de empate. Com seu time visivelmente dominado, Renato faz a primeira modificação logo aos 26 minutos. Carlos Alberto sai para a entrada do jovem Bruno Collaço.

A mudança não modificou o panorama do jogo e o Grêmio continuava assustando somente em bolas parada. Foi novamente assim que Rochemback, aos 29 minutos, obrigou o goleiro André Sangalli a fazer uma excelente defesa. Aos 30, os remistas conseguem finalizar com a primeira jogada tabelada. Gilson cobra lateral para Borges, que de primeira, escora para Bruno Collaço chutar rente ao travessão.

Quem não faz, leva. O lateral esquerdo Gerley tabela com Everton e recebe nas costas de Gabriel para fazer o segundo gol do Caxias. Gol que silenciou momentaneamente o estádio Olímpico. Momentaneamente porque aos 43 minutos, William Magrão recebeu livre na entrada da área e acertou uma bomba no canto esquerdo de André Sangalli para descontar e recolocar o Grêmio no jogo.

SEGUNDO TEMPO – A segunda etapa iniciou com um ritmo mais lento, mas o Grêmio tratou de acelerar logo aos 10 minutos. Primeiro, Rochemback cobra falta da lateral esquerda da área e o goleiro André Segalli manda para escanteio. Na cobrança, a zaga do Caxias afasta para a entrada da área e Douglas chuta com força, sobre o gol de Sangalli.

Seis minutos depois, foi a vez de André Lima quase marcar um gol inusitado. Depois de receber de Douglas, o atacante Tricolor dá um carrinho e a bola passa raspando a trave de André Sangalli antes de sair pela linha de fundo. Aos 17, Renato retira Gilson, muito vaiado, e coloca Lúcio, que estava voltava de lesão. Com apenas um minuto em campo, o lateral/meia provou estar recuperado e pifou Borges, mas André Sangalli interceptou o cruzamento rasteiro.

Sentindo a melhora do adversário, o técnico Lisca mexeu duplamente, retirando Edson Rocha e Itaqui, para colocar Neto e Diogo. As mudanças não foram capazes de segurar o ímpeto Tricolor. Com uma excelente bola aérea ofensiva, o Grêmio balançou as redes mais uma vez. Rochemback cruza na área e André Lima manda para o fundo do gol, de cabeça. Novamente, o assistente acerta e marca impedimento.

O tempo passa e o Grêmio se desespera. A pressão era tanta que o espaço para o contra-ataque do Caxias era inevitável. Assim, Alisson recebeu na frente e invadiu a área, mas no momento da finalização foi travado por Willian Magrão, que salva o que seria o terceiro gol caxiense. O drama gremista no Olímpico estava estabelecido.

Márcio Chagas da Silva comunica que o jogo vai até os 51 minutos como punição à cera técnica da Caxias no segundo tempo e revolta o time serrano. Aos 46, o zagueiro Rodolfo sofre a falta na intermediária e na pressa de pegar a bola agride o zagueiro Marcelo Ramos, que tentava ganhar tempo. Após a confusão, os dois foram expulsos.

Depois de muito empurra-empurra, Rochemback cobra a falta e Gerley, quase marcando contra, coloca a bola para escanteio. Antes da cobrança, o goleiro Victor se posiciona na área para receber o cruzamento. A bola chega até a cabeça do goleiro tricolor, que desvia para Clementino. O atacante só não fez o gol de empate porque o goleiro André Sangalli se esticou todo para evitar a finalização.

Faltando um minuto para terminar os acrecimos, o Grêmio tem a última chance. Rochemback cobra a falta direto para o gol e a bola vai para a linha de fundo. Depois da reposição do goleiro, o zagueiro Rafael Marques recupera a bola e parte para o ataque. Dá para Gabriel que cruza para Borges. O atacante domina, tromba com dois zagueiros e toca para Rafael Marques, livre, chutar com força, e empatar o jogo, manter a imortalidade e levar a decisão para os pênaltis. Chagas ainda daria mais dois minutos de acréscimo.

Penalidades

Na primeira cobrança do Grêmio, Borges põe no canto direito, com força e marca para o Grêmio.

O Caxias começa com Dê, que cobra mal, no lado direito, e Victor faz a defesa. A bola ainda toca na trave.

Na segunda cobrança gremista, Douglas joga na direita de André Sangalli e amplia para o Grêmio.

O Caxias cobra a segunda com Diogo, que chuta na direita e Victor mais uma vez defende.

Fábio Rochemback bate na esquerda, André Sangalli cai para direita e o Grêmio se aproxima do título, ampliando para 3 a 0.

Na terceira cobrança do Caxias, Everton desloca Victor e deixa o Caxias ainda na disputa.

Lúcio cobra a quarta para o Grêmio. Chuta no canto esquerdo e dá o título do primeiro turno ao Imortal Tricolor.

FOTO: reprodução / ClicEsportes / Criação novohamburgo.org

Compartilhar

Ranking da Fifa: Brasil cai para quinto e vê Argentina subir

Avançar »

Gauchão 2011: Vai começar a peleia pela Taça Farroupilha

5 comentários

  1. adao odir baum araujo
    10 de março de 2011

    e uma vergonha pro futebol o que aconteceu no jogo do gremio o arbitro decidiu que se o gremio nao empatar o jogo nao acaba e ainda temos que ouvir o mauricio saraiva dizer que o resultado nao passou pelo juiz

    Responder
  2. 10 de março de 2011

    gremio sentimento não se termina dale tgremio rumo ao tri da libertadores e tri brasileirão e bi mundial é nois

    Responder
  3. 10 de março de 2011

    sou alagoano de arapiraca, e a patir de 1980 aos 10 anos de idade comecei a admirar , a torcer e a amar o GRÊMIO DE PORTO ALEGRE, e hoje ja se vão 31 anos de torcedor…Parabéns ao Grêmio por ser Campeão do 1º turno, quanto as criticas do gol de empate ter saído aos 50 minutos do 2º turno…Mas para estes eu pergunto: quantas vezes outros times não chegaram a vitória ou ao empate , nos acréscimo. Ora pois seus dores de cutuvelos, vão se rubrarem pra lá de inveja…Dá-lhe RENATO GAUCHO, meu eterno ídolo..

    Responder
  4. vera
    10 de março de 2011

    é garra,raça,e imortalidade tricolor

    Responder
  5. Jhônatan
    10 de março de 2011

    Se os jogadores do caxias ñ c atirassem em campo fingindo câimbras a cada substituição, e o goleiro q desabou 2 ou 3 vezes ñ seria necessário tanto acréscimo, vai c esconder comentarista, vai aprender a ver o q realmente aconteceu e dpois fala… Dalhe gêmio campeão!!!

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*