Avaliação e reeleição

Como avalia o seu mandato até agora?
Foram dois anos muito difíceis para equilibramos as contas. Encontramos um passivo muito grande, sendo boa parte dele não contabilizada. Exemplo é a AES Sul e a questão do Ipasem, com uma dívida de em torno de R$ 128 milhões, e que estamos pagando.

Nós gastamos muito para tentar equilibrar as contas da prefeitura. Diminuindo gastos, implantamos o pregão eletrônico e conseguimos reduzir sensivelmente os valores das nossas compras. Renegociamos todos os contratos que a prefeitura tinha com nossos fornecedores por valores menores e estamos pagando eles.

E os investimentos?

Tivemos que equilibrar as contas em um primeiro momento e começar a agir em um segundo momento.

Acredito que chegamos a um ponto de equilíbrio da nossa administração, mas ainda temos problemas anteriores a resolver. Por isso o nosso nível de investimento está muito baixo, em torno de 5%. Mas em 2007 com certeza vamos passar de 10% e aí vamos conseguir dar um passo importante para mostrar por que viemos para a prefeitura. Tivemos que equilibrar as contas em um primeiro momento e começar a agir em um segundo momento. E no setor público as coisas levam tempo. Um exemplo disto foi a compra de duas ambulâncias. Aqui nós não estávamos na Máfia dos Sanguessugas e levamos um ano e dois meses para comprar duas ambulâncias, com dinheiro dentro do cofre. Os projetos levam tempo, mas acontecem.

Quais seriam estes projetos?
Para 2007, temos oito grandes investimentos previstos. Na educação, com a construção de duas novas escolas, uma no Redentora, com o investimento de R$ 2,4 milhões e uma escola de educação infantil no Rondônia, com um investimento de R$ 600 mil reais.
E tem ainda o distrito industrial, o receptivo turístico, o posto de saúde em Lomba Grande, a ampliação do posto de saúde de Canudos e, volto a repetir, um investimento no Hospital Municipal.

Para sermos candidatos temos que mostrar trabalho também.

E sobre reeleição?
É cedo para falar, mas quem está no comando e tendo a possibilidade de concorrer é o candidato natural. Não estamos discutindo isto agora, pois é muito cedo, mas para sermos candidatos temos que mostrar trabalho também. Não adianta só pagar as contas em dia. A comunidade quer que seja feito.

Turismo
home_central_vertical