Religiosidade e Ciência

Religiosidade e Ciência

Religiosidade e Ciência

novohamburgo.org – Os espíritas acreditam que na tentativa de desacreditar a religião o senhor acaba sendo um grande divulgador para eles. O que pensa a respeito?

Padre Quevedo – Os espíritas, os chefões, não são honestos, o povo sim. Os chefões, como Allan Kardec, vieram de uma organização maçônica cujo o interesse era destruir o catolicismo. Naquele época, nem psicologia existia, o que dirá parapsicologia.

Os principais líderes espíritas brasileiros conhecem todos os desafios internacionais de parapsicologia, como apostas valendo 10 mil dólares para provar um fato… Mas continuam mentindo.

Ou são muito fanáticos e talvez não tenham culpa. Ou sofrem de uma loucura localizada, sofreram uma lavagem cerebral. E ainda dizem que eu favoreço os espíritas.Isso não passa de calúnias.

novohamburgo.org – O senhor já foi bastante desacreditado como cientista por ser Padre e defensor do catolicismo, o que comprometeria sua imparcialidade. Isso te incomoda?

Padre Quevedo – Onde está escrito que a ciência tem que renunciar a sua religião? A parapsicologia estuda fenômenos misteriosos, incomuns. E porque deixaria de estudar os mais maravilhosos?

Estudando a parapsicologia, milhares de anglicanos, luteranos estão virando católicos. Como aqueles dois tios meus, que acabaram virando católicos, muito por influência minha.

Os verdadeiros milagres pertencem à ciência, então por que negar a verdade? Se a ciência que demonstrou isso eu tenho que acreditar. Não por ser cristão. Temos que distinguir, se é um fenômeno que apenas faz parte de uma doutrina ou se baseia em fatos de verdade? Se for em fatos, isso é ciência e é nisso que acredito.

novohamburgo.org – Em sua trajetória como parapsicólogo já presenciou um milagre verdadeiro. Qual mais o marcou?

Padre Quevedo – Já presenciei vários, muitos mesmo. Um que me marca muito é de Nossa Senhora de Guardalupe. É um milagre onde todo mundo vê a imagem da santa, mas ela não está lá.

No manto do índio Juan Diego os parapsicologistas norte-americanos passaram raios lasers e constataram que não há nada entre ou através do pano, ou entre o manto e a imagem, ela não está lá. Todo mundo vê, mas não está. Apesar da imagem estar estampada no manto há mais de 450 anos, se conserva fresca como no dia em que foi feita.

Onde está escrito que a ciência tem que renunciar a sua religião? Os verdadeiros milagres pertencem à ciência, então por que negar a verdade?

Outro que me impressiona muito, é Milagre Eucarístico de Lanciano. Um padre duvidava que a hóstia com aparência de pão, com algumas palavras se transformaria no corpo de Cristo e o vinho com aparência de vinho em sangue de Cristo, mesmo que simbolicamente. Duvidar não é falta de fé, ele queria saber.

E há quase três séculos aquela hóstia se transformou em carne humana, viva até hoje. Se petrificou com o passar do tempo, mas os glóbulos ainda estão vivos. Mas como está vivo se está duro? Não me pergunte por que não fui eu quem fez o milagre. Mas ele é claríssimo.

E como este, existem milagres de todos os tipos. Cadáveres incorruptos. Eu não digo mumificado ou embalsamado. Incorrupto, flácido, o cirurgião enfia uma seringa e tem sangue líquido. Hoje, expostos, existem mais de dois mil corpos, desses. Eu já vi mais de 600 corpos incorruptos. Isso é para ver, qual outra religião pode apresentar um cadáver incorrupto? Não tem.

Turismo
home_central_vertical