Jackson Müller – A revelação do dossiê

rio

07/10/2006: o rio tem as cores da morte

A revelação do dossiê

Ex-diretor técnico da Fepam, Jackson Müller abre seus e-mails para tentar provar inocência e atenuar o que chama de dano moral

Há cinco meses, o Rio dos Sinos passava pela maior tragédia ambiental de sua história, que redundou na morte de 90 toneladas de peixes. Puniu-se empresas, mobilizou-se lideranças e a sociedade e o debate pela manutenção do rio se iniciou.

Há pouco menos de um mês, o foco de conscientização ambiental foi deixado de lado. Perdeu espaço para uma briga política no comando do principal órgão ambiental. De um lado, o presidente da Fepam, Renato Breunig, que assumiu o cargo ainda sendo o advogado da empresa acusada de ser a principal causadora da mortandade. De outro, o diretor técnico da Fepam, Jackson Müller, contra quem foi apresentado um dossiê com troca de e-mails dele com o presidente da mesma empresa.

Enquanto a ligação de Breunig com a empresa foi tratada nos bastidores do governo, acarretando em sua demissão, os e-mails de Müller teriam sido tornados públicos pelo próprio Breunig. O tema esmoreceu, mas Müller se considera atingido.

Professor e biólogo hamburguense, concursado em Novo Hamburgo, Müller resolve agora retomar o assunto ao dar ele próprio publicidade aos e-mails. Considera que neste episódio todo ele sai como vilão, tendo assim o nome e seu trabalho manchados por uma situação que considera injusta.

Nesta entrevista, Jackson Müller explica por que está abrindo os e-mails recebidos e emitidos a Luiz Ruppenthal, diretor e responsável técnico da Utresa, acusada de ser a principal responsável pela mortandade. Ele fala de como ocorreu sua exoneração, dá detalhes dos trabalhos na empresa de Estância Velha, aborda o conteúdo dos e-mails, faz uma reflexão sobre a contaminação de arroios e do próprio Rio dos Sinos, além de abordar os impactos disto na saúde pública.

Turismo
home_central_vertical