Bispo Dom Zeno Hastenteufel

1605_zeno

Dom Zeno estava em Frederico Westphalen

“A Igreja não permite o desregramento da vida”

Bispo Dom Zeno Hastenteufel fala sobre a visita do papa e da visão da Igreja sobre temas polêmicos

O novo bispo de Novo Hamburgo, Dom Zeno Hastenteufel, recém-empossado na diocese local no final do mês passado, esteve em São Paulo na semana passada, participando da assembléia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Na capital paulista, aproveitou para acompanhar a visita do papa Bento XVI ao País.

Natural da localidade de Francesa Alta, em Montenegro, onde atualmente está o município de Barão, Dom Zeno Hastenteufel, 60 anos, é padre desde 1976. Foi diretor e professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Doutor pela Universidade Gregoriana do Vaticano, ele foi consagrado Bispo da Igreja Católica em 1985. Estava na Arquidiocese de Frederico Westphalen antes de vir para Novo Hamburgo.

Responsável pelas 45 paróquias dos 23 municípios que compõem a diocese local, Dom Zeno destaca o carisma revelado pelo papa, antes duvidado pela imprensa, e a sua postura muito clara de defesa da vida, da família e dos valores morais.

Nesta entrevista ao portal , o bispo fala ainda sobre a fé da juventude católica, sobre a fidelidade à Igreja e sobre temas polêmicos como a legalização do aborto, o uso da camisinha, o planejamento familiar e a pesquisa com células-tronco.

novohamburgo.org – Além de acompanhar a visita do papa, quais outras atividades o senhor teve em São Paulo?

Dom Zeno Hastenteufel – Fui participar da 45ª assembléia da CNBB e ela coincidiu com a vinda do papa. Terminamos a conferência no dia 8 e, no dia 9, chegou o papa. Nos deslocamos para São Paulo onde participamos dos grandes eventos do papa no Pacaembu, na grande missa de canonização do Frei Galvão e na Catedral da Sé.

novohamburgo.org – Chegaram a conversar pessoalmente?

Dom Zeno – Não desta vez. Só cheguei ao papa porque outro bispo estava lá de cadeira de rodas e foi cumprimentá-lo pessoalmente. Então parei atrás deste bispo, dei a mão para o papa e fotografei ele bem de perto. Mas já estive com o papa em Roma, anteriormente.

Turismo
home_central_vertical