• Visualizações 550

No edifício do Silvio Santos

Por Jorge Trenz

Luivar Marchioro nasceu em 1966, na cidade de Nova Araçá. Hoje é o dono das lojas Selet (uma de iluminação e outra de materiais elétricos, em Novo Hamburgo, e planejando a abertura da terceira em Garopaba – SC). Para chegar até aqui, Luivar teve que primeiro, fugir da roça, literalmente. Ele e alguns amigos, todos na faixa de uma dezena de anos de idade, decidiram virar padres. “Com 14 anos, lá em 1980, fui para o seminário em Caxias do Sul.”

Eram outros tempos. Não havia os equipamentos modernos e o capital do agronegócio em ação; nem a tecnologia e os avanços da ciência na cadeia produtiva dos alimentos. “Naquela época ganhava-se uma miséria para trabalhar de sol a sol. Nenhuma criança nunca desejou isso. Para estudar tinha que caminhar 4km. Então, vimos no seminário uma maneira de fugir daquela situação.”

Luivar Marchioro: 2 anos andando pelas ruas de SP ajudaram a conhecer a cidade e pegar gosto pela construção.

A turminha ficou lá por 2 anos, até que os padres perceberam que não tinham vocação e aconselharam, a todos, seguir outro caminho. “Uma certeza eu tinha: não queria voltar para Nova Araçá.” Do seminário em Caxias do Sul, ele foi direto para São Paulo, atrás de um irmão mais velho que já morava por lá. Empregou-se num dos grandes escritórios de arquitetura da capital paulista.

“A esposa do meu irmão trabalhava como telefonista num edifício que era do Sílvio Santos e num dos andares estava essa empresa. Foi por influência dela que me deram o emprego de office boy.” Passou 2 anos andando pelas ruas de São Paulo. Aprendeu a gostar conhecer a cidade. E foi assim que pegou gosto pela construção.

Com o falecimento do pai, teve que retornar em 1982, para ajudar a mãe e a irmã menor, com 6 anos, que ficaram com uma roça imensa para cuidar. Ou seja, voltou para o lugar do qual fugiu. Continuou os estudos até completar o segundo grau. Em 1985, fez vestibular para arquitetura na Unisinos.

“Para ter algum dinheiro e pagar o curso, vim de auxiliar de eletricista para Novo Hamburgo, em 1986. Em 87, por não ter como pagar nem mesmo o apartamento subsidiado pela prefeitura, aceitei a gentileza do diretor da empresa e fui morar na garagem da casa dele, que não era usada! Dois anos depois, a empresa entrou em dificuldades e, antes de encerrar as atividades, fizemos uma parceria e fiquei com os clientes.”

Apaixonado e a fim de desfrutar de mais conforto e tempo junto à amiga e namorada de infância, alugou uma kitinete, sem nenhum mobiliário, onde foram morar juntos. E foi ali, por causa desta relação, que nasceu a Mafer Instalações Elétricas Ltda. Em 1998, a fim de expandir seu mercado, a Mafer associou-se com outra empresa do ramo e, em 2018, após uma dissolução amigável de sociedade, a companhia passou a se chamar Selet.

Planos para o futuro? Luivar garante que não faltam. Abrir operações em  Xangri-lá e Gramado estão no  radar. “Também estamos ampliando a nossa participação no mercado com mão-de-obra, através da aquisição de uma outra empresa”, antecipa ele, que vê o bairro Centro como um bom lugar para investir. “Sem dúvida. Tenho crescido muito nesse bairro”.

Compartilhar

Casal é preso por aplicar golpes em empresários de Dois Irmãos

Avançar »

Prefeitura e Feevale firmam parceria para estudar a implantação de um centro de eventos em Campo Bom

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*