• Visualizações 403

2020: ano de queda na produção e exportação de calçados

Presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, apresentou números do setor de 2020 e projetou com otimismo 2021

Selo1

Da Redação Calçados S/A:  www.calcadossa.com.br (Siga no Facebook)

É notório que 2020 foi um ano de quedas em vários setores, na indústria calçadista brasileira não foi diferente. Segundo informações divulgadas pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) em coletiva on-line realizada na quarta-feira, 13, o setor pode ter perdido 21,8% da sua produção em 2020, retrocedendo a patamares de 16 anos atrás (dado oficial, do IBGE será divulgado até o final de janeiro). Na exportação a queda foi de 18,6%, pior número desde 1983. Já para 2021, a estimativa é de incremento tanto em produção (+14,1%) quanto na exportação de calçados (+14,9%). O crescimento, porém, não será suficiente para restaurar o “tombo” apurado no ano de 2020.  

Para o presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira, a atividade vem em recuperação gradual, tendo criado mais de 30 mil postos de julho a novembro (último dado disponibilizado pelo Ministério do Trabalho e Emprego). “A abertura do varejo, que absorve mais de 85% das vendas do setor, foi fundamental para o resultado”, comentou. Por outro lado, o crescimento não foi suficiente para reverter as perdas de postos nos meses mais críticos da pandemia e das restrições ao varejo físico. Entre março e junho do ano passado mais de 60 mil trabalhadores perderam seus empregos. O dado até novembro mostra que o setor está empregando 255 mil pessoas, 13% menos do que no mesmo mês de 2019.

Quanto à produção de calçados, a queda no acumulado até novembro foi de 23,4% (para 654,1 milhões de pares fabricados), sendo que o ano deve fechar com uma queda de 21,8%, indicando pequena melhora no último mês de 2020. “Fecharemos o ano com a produção de 710 milhões de pares, nível registrado em meados dos anos 2000”, destacou Ferreira. Para 2021, a expectativa é de que o setor cresça 14,1% sobre a base fraca do ano passado (para 811 milhões de pares). “Porém, ainda que a estimativa se realize, estaríamos 10,3% abaixo do desempenho de 2019 (908 milhões de pares), na pré-pandemia”, projetou o dirigente. “O estrago foi muito grande, mas esperamos que com a vacinação em massa e as coisas retornando ao normal possamos experimentar uma recuperação. Mas ainda vamos ficar longe do ideal”, acrescentou o executivo, ressaltando que para que o crescimento seja sustentável é preciso que o Estado brasileiro promova as reformas estruturantes necessárias, especialmente a tributária. “Vivemos em um manicômio tributário. Não havendo uma reforma neste sentido, não teremos como sustentar a recuperação”, disse. 

Exportações

Respondendo por cerca de 15% das vendas do setor calçadista brasileiro, as exportações terminaram 2020 com um revés de 18,6% em pares (93,8 milhões de pares) e de 32,3% em dólares (US$ 658,3 milhões) no comparativo com 2019, pior resultado em quase quatro décadas. Com o retorno gradual das negociações internacionais, especialmente as grandes feiras comerciais, a expectativa é de um crescimento de 14,9% ao longo de 2021 (108 milhões de pares). “Ainda assim ficaremos 6,5% aquém de 2019”, disse Ferreira.

Segundo Ferreira, os principais destinos das exportações, em 2020, seguiram sendo Estados Unidos (9,3 milhões de pares e US$ 137,8 milhões, quedas de 22,1% e 30,8%, respectivamente); Argentina (7,7 milhões de pares e US$ 72,6 milhões, quedas de 23,5% e 30,8%) e França (7,1 milhões de pares e US$ 59,2 milhões, quedas de 10,7% e 2,1%). As principais origens dos embarques foram Rio Grande do Sul (22 milhões de pares e US$ 292,5 milhões de pares, quedas de 28,8% e 34,8%); Ceará (33 milhões de pares e US$ 167 milhões, quedas de 14,5% e 28,1%); e São Paulo (6,4 milhões de pares e US$ 66,8 milhões, quedas de 16,5% e 35,3%).

DADOS 2020

Produção de calçados (jan-nov): -23,% (654,1 milhões de pares)

Produção de calçados (2020): -21,8% (710 milhões de pares)*

Exportação de calçados (2020): 93,8 milhões de pares (-18,6%) e US$ 658,3 milhões (-32,3%)

Emprego (nov): 255 mil postos diretos (-13%)

2021*

Produção de calçados: +14,1% (811 milhões de pares)

Exportação de calçados: +14,9% (108 milhões de pares)

* Projeções Abicalçados

Informações: Abicalçados

Compartilhar

Boletim Coronavírus

Avançar »

Aberto processo seletivo para contratação temporária de professores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*