• Visualizações 320

Paciente do CER recebe bancada adaptada feita por terapeuta ocupacional

O Centro Especializado em Reabilitação (CER) foi mais uma vez palco da mistura entre conhecimento e empatia. Agora, foi uma paciente que recebeu uma bancada de apoio para cadeira de rodas.

Tudo começou quando a terapeuta ocupacional Paula Lunardi identificou as necessidades da paciente Débora Storck, que sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) há 10 anos e que a deixou com muitas sequelas. A paciente iniciou o tratamento no CER no mês de novembro do ano passado e a bancada adaptada para encaixar na cadeira de rodas foi construída a partir de um protótipo feito pela também terapeuta ocupacional Luana Ramos.

Para produzir a bancada foi preciso retirar as medidas da paciente e da cadeira de rodas. Foram utilizados os materiais: papelão, durex e papel contact. Segundo a terapeuta Paula, esta técnica assistiva vai servir para a paciente trabalhar e fazer suas refeições de forma mais independente, podendo ser limpa com água e detergente sem estragar, sendo um material leve e de fácil instalação. Ainda, pode ser colocada e retirada de forma rápida e simples. A bancada auxilia também para que a paciente mantenha um posicionamento adequado na cadeira de rodas, evitando a má postura e adquirir novos problemas na sua saúde.

“Procurei avaliar a potencialidade e as capacidades residuais que possui a paciente, analisei os movimentos que ela já realiza e outros que seria capaz de fazer, para então, criar tecnologias assistivas que a ajudasse nestas atividades da vida diária, dentro do seu ambiente domiciliar ou fora dele, a ter maior independência e autonomia no seu dia a dia”, explica Paula. “Para que a paciente aumente sua autoestima, retorne e mantenha seus hábitos e sua rotina dentro das suas novas possibilidades, participe de uma atividade produtiva e rentável, se envolva em um trabalho para sentir útil na comunidade em que vive, ter um motivo para levantar-se toda manhã e ter um desafio todos os dias para ampliar os seus horizontes”, complementa a terapeuta ocupacional sobre os objetivos do tratamento programado para a paciente.

A Terapia Ocupacional pode ser usada em uma variedade de técnicas adaptadas para as diferentes incapacidades e situações, começando por atividades simples e depois passando para as mais complexas, na medida em que o paciente vai progredindo é exercitado seu corpo e mente para melhorar sua vida, inclusive os pacientes que sofreram AVC.

Andador feito de PVC

Outra iniciativa realizada no CER foi a construção por uma fisioterapeuta de um andador feito de PVC para crianças com deficiência. Leia a matéria (clique aqui).

Crédito: Bárbara Santos / Grupo SEG

Compartilhar

Taxa de eficácia geral da Coronavac é de 50,38%

Avançar »

Novo Hamburgo: Boletim Coronavírus

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*