• Visualizações 194

Reservatório mais antigo da Comusa será restaurado

O local, construído em 1949, passará por uma série de reformas após vazamentos em maio

Após encontrar vazamentos e rachaduras, a Comusa – Serviços de Água e Saneamento de Novo Hamburgo vai realizar a recuperação de seu reservatório mais antigo. A obra, que deve durar em torno de 90 dias, tem como objetivo restaurar de forma eficaz o espaço construído em 1949 e que armazena 1,5 mil metros cúbicos de água e auxilia o abastecimento de toda a Novo Hamburgo.

De acordo com o diretor técnico da Comusa, engenheiro Ari Borges dos Santos, os problemas no reservatório foram encontrados em maio deste ano. “Tivemos um vazamento de grandes proporções e notamos que estava vindo deste reservatório. Retiramos o talude (uma camada de grama que cobre o local) e realizamos um técnico. Foram encontradas diversas rachaduras internas e sua impermeabilização estava comprometida. Então, para garantir a preservação do reservatório, demos início ao estudo para recuperar ele”, explica. “É importante termos todo o cuidado para reparar esse reservatório da maneira correta. Ele tem quase 70 anos e queremos garantir que vai ser concluído da melhor forma possível.”

Para o diretor-geral da Comusa, Eduardo Antônio Bonato, o importante é garantir o abastecimento à população sem afetar o trabalho da autarquia. “Já preparamos os dois reservatórios auxiliares que temos para garantir o abastecimento durante esse período, justamente para evitar o desabastecimento. Assim, podemos focar nesse reparo e manter o funcionamento da Estação de Tratamento de Água.”

Compartilhar

Ministro da Educação, Abraham Weintraub anuncia saída do governo Bolsonaro

Avançar »

Novo Hamburgo registra o 11º óbito de morador por Covid-19

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*

Turismo
home_central_vertical