• Visualizações 352

Doria diz para Bolsonaro ir visitar hospitais com pacientes de Covid-19

Respeite o luto dessas famílias, os médicos, enfermeiros e profissionais de saúde que, ao contrário do senhor que vai treinar tiro, estão trabalhando para salvar vidas – disse o governador.

Depois de ter sido citado nesta manhã pelo presidente Jair Bolsonaro, o governador de São Paulo, João Doria, fez nesta quarta-feira o enfrentamento mais contundente ao presidente durante a pandemia do novo coronavírus. O tucano pediu a Bolsonaro respeito aos mortos na pandemia do novo coronavírus e cobrou dele que saia do gabinete e visite as cidades mais atingidas pela Covid-19.

-Saia da redoma de Brasília. Se não quiser visitar São Paulo vá a Manaus, presidente. Vai ajudar o governador e o prefeito de lá, no mínimo, estando presente para ver a realidade do seu país e não a sua realidade do estande de tiro onde foi ontem celebrar enquanto choramos mortes de brasileiros. Saia da bolha, da fábula e do mundinho do ódio. Percorra hospitais e seja solidário com a realidade do seu país – criticou Doria.

Bolsonaro referiu-se diretamente a Doria e ao prefeito de São Paulo, Bruno Covas, nesta manhã ao comentar o avanço da epidemia no país. O número de óbitos pela Covid-19 chegou a 5.017 nesta terça-feira, ultrapassando as mortes ocorridas na China. São Paulo registrou 24 mil casos confirmados e 2.049 óbitos.

-A imprensa tem que perguntar para o Doria por que mais gente está perdendo a vida em São Paulo – disse Bolsonaro. – Pergunte ao senhor João Doria, ao senhor Bruno Covas, por que tomaram medidas tão restritivas, e continua morrendo gente – afirmou o presidente.

Doria também reagiu à declaração feita pelo Presidente na terça-feira, 28, quando disse: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?” e enumerou o que considera que o presidente pode fazer para controlar a doença.

– Posso enumerar algumas atitudes que o senhor já deveria ter tomado como presidente da República e não adotou. É fazer aquilo que não fez, começando por respeitar os brasileiros que o elegeram e os que não votaram no senhor. Famílias que perderam seus parentes pelo coronavírus, que o senhor classificou com uma gripezinha. Respeite o luto dessas famílias, os médicos, enfermeiros e profissionais de saúde que, ao contrário do senhor que vai treinar tiro, estão trabalhando para salvar vidas – disse o governador.

A poucos dias do pico da pandemia no estado, Doria acusou o presidente de fazer “política de perversidade” e de “atrapalhar” quem está tentando controlar a pandemia.

-Pare de fazer política em meio a um país que chora mortes e infectados. Diante de mais de 5 mil mortes o senhor continua afirmando que o país está vivendo uma pandemia de uma gripezinha? – provocou o governador.

O tucano também direcionou críticas ao presidente no campo pessoal.

– O senhor que gosta de tratar tudo como números e acha que a vida é um número, eu não acho que vida é número. Nem meus filhos são tratados por número. Meus filhos são tratados pelo nome, com carinho amor e afeto. Espero qe o senhor ainda possa resgatar o seu sentimento para ter olhar de compaixão pelo seu país – disse, referindo-se aos apelidos de 01, 02, 03 e 04 que Bolsonaro dá a seus filhos.

Informações: O Globo

 

 

Compartilhar

Novo Hamburgo passa a contabilizar testes rápidos de laboratórios privados. Casos sobem para 36

Avançar »

Ação coordenada pelo governo do RS garante conserto de respiradores

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*