• Visualizações 542

Coletiva: Técnico da França não crê em crise de talento do Brasil

Didier Dechamps elogiou capacidade dos brasileiros de jogar em pequenos espaços. Seleção francesa chegou ao aeroporto Salgado Filho,em Porto Alegre, por volta das 22 horas desta quarta-feira, dia 05.

Da Redação redacao@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

A seleção francesa chegou ao aeroporto Salgado Filho,em Porto Alegre, por volta das 22 horas desta quarta-feira, dia 05, depois de perder para o Uruguai por 1 a 0 em Montevidéu. A equipe enfrenta o Brasil no próximo domingo, na Arena do Grêmio, no último amistoso antes da Copa das Confederações.

O time realizará treino fechado nesta quinta-feira à tarde no estádio Olímpico, antiga casa gremista. Pela manhã, serão realizadas entrevistas coletivas do técnico francês, Didier Deschamps, e três jogadores. No Uruguai, o comandante disse que aproveitará os confrontos na América do Sul para testar atletas e antecipou que escalaria equipes diferentes.

A equipe francesa embarcou em um ônibus dentro do pátio do aeroporto de Porto Alegre, deixando o local por um portão afastado da sala de embarque. O veículo partiu, por volta das 22h30min, para o hotel Sheraton, no bairro Moinhos de Vento.

Calmo e simpático, Didier Deschamps, técnico da seleção francesa, chegou ao salão do Conselho Deliberativo do Estádio Olímpico pontual, às 10h45min, para a entrevista coletiva. Como a imprensa de seu país teve problemas para chegar a Porto Alegre, atendeu primeiramente os repórteres brasileiros.

Entrevista coletiva

Na pauta, a suposta crise de talentos do futebol brasileiro. Deschamps, porém, não vê escassez de jogadores de qualidade no Brasil. Para ele, falta experiência.

“O Brasil é muito grande e tem muitos jovens jogando futebol, então o talento sempre existe. Há uma geração de jogadores jovens que chegam. Há muito talento. Eu vi o jogo contra a Inglaterra. Há jogadores de qualidade que podem fazer a diferença,” afirmou, para depois completar:

“O Brasil produz tanto talento quanto em anos anteriores. A diferença é que o time que nós enfrentamos em 1998, assim como o de 2006, tinha jogadores que aliavam experiência e talento. Talvez falte um pouco de experiência internacional para essa geração.

Aos jornalistas franceses, Deschamps exaltou a capacidade dos brasileiros de executar jogadas aparentemente difíceis.

“Eles trabalham em espaços pequenos, fazem coisas difíceis e que, para eles, parecem fáceis. O Brasil é um time que toma seu tempo para construir as jogadas, mas quando chega a 30 metros do gol, tem essa mudança de ritmo.”

A França faz seu primeiro trabalho em Porto Alegre às 16 horas desta quinta-feira, dia 06, no Estádio Olímpico. A equipe de Didier Deschamps fará três trabalhos antes do jogo contra o Brasil, no domingo, às 16 horas, na Arena do Grêmio.

Informações de Fox sports / Terra

FOTO: reprodução / Terra

Compartilhar

Incêndio na Fenac: Presidente Elivir Desiam garante próximos eventos

Avançar »

Polícia Civil prende quadrilha responsável por roubo de 150 veículos no RS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*