• Visualizações 524

Parque Cidade das Artes: Projeto expandirá a cultura na região

Iniciativa oferecerá oficinas para moradores da cidade e da região. Intenção é formar profissionais de diversas áreas artísticas, como figurinistas, maquiadores e atores. Investimento será de até R$ 15 milhões.

Gustavo Fritzen gustavo@novohamburgo.org (Siga no Twitter)

Formar e fornecer cultura. Este é um dos objetivos do Parque Cidade das Artes. Idealizado para ser um complexo cultural e turístico em Novo Hamburgo, o projeto reunirá em um único espaço (localizado no Parque Floresta Imperial) as mais diversas artes, como dança, música e teatro, por exemplo.

Através de oficinas artísticas para estudantes, será oferecida a oportunidade de aperfeiçoamento de conhecimentos em diversas áreas culturais durante os turnos em que não estiverem na escola. Especializações envolvendo setores de confecção de figurinos, iluminação, TV e cinema, entre outras, estão entre aquelas que poderão ser escolhidas por cada um deles. Para profissionais destas áreas e professores, os cursos acontecerão à noite e em sábados e domingos.

E não faltam nomes de peso para apoiar a iniciativa. Dentre os envolvidos, está o ator e diretor gaúcho Werner Schünnemann, além do escritor hamburguense Henrique Schneider e da atriz, produtora e cineasta Rejane Zilles.

Formação de profissionais

“O objetivo é formar mais pessoas”, resume o presidente da Associação Hamburguense de Técnicos, Atores e Diretores de Artes Cênicas – AHTADAC e um dos idealizadores do projeto, Luiz Fernando Rodembuch, em entrevista ao portal novohamburgo.org. “Vamos formar 10 destas pessoas, por exemplo, e elas poderão disponibilizar o seu trabalho especializado e de qualidade. Assim seguirá o ciclo.”

Conforme Rodembuch, não existem figurinistas em Novo Hamburgo. O município tem como uma de suas demandas a atuação de alguém que entenda do assunto. Situação parecida ocorre em outros setores. “Em todas essas áreas faltam pessoas. O espaço vai fazer com que esta necessidade seja suprida”, promete. O presidente da AHTADAC informa que, através do Parque Cidade das Artes, será possível oferecer oportunidades a outros serviços, como pedreiros, arquitetos e costureiras.

Como funcionará?

“A princípio, este não é um projeto exclusivamente para a cidade, mas sim de abrangência regional”, explica o ator e diretor. Estância Velha, Campo Bom, Sapiranga, São Leopoldo, Ivoti e Dois Irmãos são outras cidades que farão parte da ação. Além disso, será de responsabilidade de cada uma das prefeituras o transporte dos estudantes – e o mesmo deverá ocorrer no que diz respeito a oferecer lanches.

Para fazer parte da iniciativa, os interessados deverão participar de um processo de seleção. “Existe uma espécie de fundação que definirá quem vai participar do programa”, comenta. “Aqueles que já trabalham na área, ou tem conhecimento, serão os primeiros a ser selecionados.”

BENEFÍCIOS – Os grupos do meio artístico não vinculados a estes também poderão usufruir do lugar. Este benefício virá das mais diversas formas, afirma Rodembuch: seja por meio de salas onde poderão ensaiar ou até mesmo na hora de realizarem apresentações. “Tudo por intermédio de agendamento prévio”, reforça.

Haverá ainda um grupo de curadores responsáveis por administrar o projeto, que será implantado aos poucos. O objetivo é captar recursos através de leis de incentivo estaduais e federais e da Fundacine, entre outros. Inicialmente, o foco estará voltado para a área do audiovisual, com atividades funcionando já dentro do prazo de um ano.

“O Centro de Cultura de Novo

Hamburgo não é um centro de cultura”

Um dos motivos para Luis Fernando Rodembuch ter se envolvido no projeto é o fato de desacreditar o local que abriga o Teatro Municipal Pachoal Carlos Magno. “O Centro de Cultura de Novo Hamburgo não é um centro de cultura”, afirma.

Segundo ele, graças ao Complexo Cultural este cenário pode mudar. “Através de um orçamento estimado entre 12 e 15 milhões de reais, o projeto será dividido em sete módulos, podendo ser finalizada em quatro anos”, pontua.

Veja abaixo quais são:

– Módulo I | TV e Cinema

Envolve uma sala de maquiagens, figurinos, quatro banheiros, dois pequenos cinemas (com 120 lugares) e restaurante, além de salas de reunião, biblioteca etc.

– Módulo II | Prédio de Teatro

Um novo teatro para Novo Hamburgo, contendo 800 lugares, duas salas de ensaio devidamente equipadas e estacionamento para 600 automóveis.

– Módulo III | Técnicas Circenses

O ginásio será erguido na atual cancha de futebol de salão do Parque Floresta Imperial. Ele abrigará diversas formas de técnica circense, incluindo acrobacia aérea, por exemplo.

– Módulo IV | Prédio de Dança

Quatro salas de ensaio, equipadas com som, barras, espelhos, dentre outros aparelhos.

– Módulo V | Prédio de Música

10 salas de ensaio para aulas e ensaios.

– Módulo VI | Prédio de Artes Plásticas

Seis salas grandes para oficinas de diversas áreas.

– Módulo VII | Hotel/Pousada

Será constituído por quatro apartamentos.

FOTO: ilustrativa

Compartilhar

RS registra primeira temperatura negativa em 2013

Avançar »

Juventude da Câmara de Novo Hamburgo fala sobre os primeiros 95 dias de mandato

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*