• Visualizações 195

Reunião nesta segunda-feira poderá definir lockdown em São Leopoldo

São Leopoldo não irá recorrer das regras da bandeira preta do Distanciamento Controlado e o prefeito Ary Vanazzi levará ao Comitê Municipal de Atenção ao Coronavírus uma proposta de lockdown de uma semana a ser discutida a detalhada pelo colegiado, que tem participação da sociedade civil. A reunião será realizada na tarde desta segunda-feira, às 15h, e as regras definidas pelo Comitê passarão a valer a partir de quarta-feira, dia 24.

A proposta foi apresentada pelo prefeito Vanazzi e pelo secretário da saúde, Marcel Frison, em live transmitida pela Rádio Prefeitura na manhã de sábado (20), após uma reunião do Governo Municipal que tratou do assunto. “Estamos dando um tempo para a cidade ir se preparando”, explicou o prefeito. Segundo o prefeito, o quadro se agravou na região nos últimos dias e o começo da vacinação deu a impressão de que as coisas estavam normais.

Sem alterações no decreto no final de semana, a orientação é que a Força-Tarefa de Fiscalização amplie as ações e previna a aglomeração.

Vacinação

A falta de vacinas, em todo o Brasil, também foi um dos assuntos abordados na live. “Temos uma vacinação em ritmo lento, pela falta de planejamento para aquisição da vacina pelo Ministério da Saúde e o Governo Federal, que não estão cumprindo o calendário de vacinação”, destacou o prefeito, que tem participado de campanhas junto às associações de prefeitos para que os governos comprem e deem condição para a produção de vacina.

Segundo o secretário Marcel Frison, a pesquisa sobre a carga viral no esgoto mostrou a ampliação da circulação do vírus e indica uma possibilidade maior de pessoas assintomáticas. “Isso está se refletindo no sistema agora”, explicou Marcel. O secretário também lembrou que São Leopoldo foi uma das poucas cidades do Rio Grande do Sul e a única da Região Metropolitana a conseguir ampliar a vacinação para idosos de 80 anos ou mais, mas que o estoque foi esgotado. “Temos uma pequena reserva do estoque que está destinada para os acamados e remanescentes nas casas de acolhimento de idosos”, concluiu.

Foto: Reprodução Facebook

Informações: Site PMSL

Compartilhar

Fiscalizações para coibir aglomerações conforme determina novo decreto ocorreram em todo o Estado

Avançar »

Que sejam atacadas as reais causas da contaminação, e não as nossas empresas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*