• Visualizações 271

Hospital Municipal amplia estrutura para 80 leitos clínicos dedicados à Covid-19

A Secretaria Municipal de Saúde de Novo Hamburgo, juntamente com a Fundação de Saúde, estão ampliando o número de leitos clínicos dedicados exclusivamente à Covid-19 no Hospital Municipal. A partir de segunda-feira, dia 29, mais 31 leitos clínicos estarão à disposição da população hamburguense. “Com isso, conforme prevê nosso plano de contingência ao coronavírus, teremos 80 leitos clínicos totalmente dedicados à pandemia”, enfatiza o secretário municipal de Saúde, Naasom Luciano.

O presidente da Fundação de Saúde de Novo Hamburgo, Ráfaga Fontoura, complementa que isso levanta outro desafio para a estrutura de atendimento, que é a falta de profissionais técnicos para atuar no reforço destes leitos. “Já realizamos nove processos seletivos simplificados neste ano e nunca conseguimos suprir as vagas abertas. Além disso, temos uma média mensal de 100 profissionais técnicos afastados por suspeita ou confirmação de coronavírus. Estamos compensando com remanejo e horas extras”, explica.

Por isso, a Secretaria de Saúde está analisando a possibilidade de redução de equipes técnicas em Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Unidades de Saúde da Família (USFs) e deslocá-las para atendimento no Hospital Municipal. “Isso também está previsto no plano de contingência. É fundamental a compreensão da comunidade para este momento. Como deve haver redução nas equipes das UBSs, as pessoas devem procurar atendimento somente em caso de extrema necessidade”, pede Naasom Luciano.

LEITOS NO HOSPITAL

Atualmente, a estrutura de leitos para atender exclusivamente a Covid-19 no Hospital Municipal é de 49 leitos clínicos, sendo sete deles de cuidados especiais (semelhantes a uma UTI), além de dez leitos de UTI. O Município também deve contar em breve com mais cinco leitos de UTI, que estão sendo estruturados a partir dos cinco respiradores pulmonares recebidos do Estado na sexta-feira passada, conforme determinação da prefeita Fátima Daudt.

Inicialmente, o Estado havia prometido cinco leitos de UTI, mas acabou liberando apenas os respiradores. “Isso afetou nosso planejamento, mas a prefeita determinou que seguíssemos o cronograma de leitos de UTI com recursos próprios”, enfatiza o secretário Naasom. Há ainda outros dez leitos de UTI locados para serem entregues entre 30 e 40 dias, mas que a Prefeitura está gestionando para serem implantados o mais rapidamente possível.

O plano de contingência ainda prevê outras estruturas, como ações na UPA Centro e implantação de hospital de retaguarda (hospital de campanha no local).

Compartilhar

Nuvem de gafanhotos: governo declara emergência fitossanitária

Avançar »

OAB/RS divulga nota em defesa à prática de atos processuais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*