• Visualizações 618

Crianças e adolescentes têm tratamento definido contra o HIV de acordo com novo protocolo

Novo protocolo de tratamento clínico para infecção pelo HIV de crianças e Adolescentes é lançado pelo Ministério da Saúde. A faixa etária que é considerada neste documento é de recém-nascidos até os 13 anos.

Da Redação (redacao@novohamburgo.org) (Siga no Twitter) 

Nesta sexta-feira, dia 07, foi lançado em consulta pública pelo Ministério da Saúde, um novo protocolo de tratamento clínico para infecção pelo HIV de crianças e Adolescentes. Esta proposta aconselha que em recém-nascidos  expostos deve ser feito com AZT –Zidovudina por quatro semanas. Mães sospositivas que foram acompanhadas desde o seu pré-natal são as indicadas para a aplicação. É recomendado também para gestantes que não receberam antirretroviral durante a gravidez a utilização de AZT – Zidovudina por quatro semanas, com o uso  de Nevirapina em três doses.

Crianças de cinco anos com carga viral superior a 100 mil cópias (quantidade de HIV que circula no sangue, considerada alta e que sugere o progresso da doença nas crianças) também tem indicação do inicio do tratamento. Outra indicação é efetuar o inicio do tratamento para todas as crianças com idade superior a cinco anos com CD4 acima de 500.

Ficará em consulta pública pelo período de 30 dias (até 09 de março) o protocolo que apresenta novas propostas para aperfeiçoar o atendimento e tratamento dessa população no país, e será finalizado ainda neste primeiro semestre.

Vale ressaltar que o documento amplia as recomendações sobre diagnóstico, manejo da falha terapêutica, adesão, revelação diagnóstica, toxicidade, coinfecções, infecções oportunistas e abordagem aos adolescentes. A faixa etária que é considerada neste documento é de recém-nascidos até os 13 anos.

Informações de R7
Foto: Reprodução / unimedsobral.com.br

Compartilhar

Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue | Com 300 mil doações em um ano, RS sempre precisa de sangue

Avançar »

Politica de atendimento à pessoas com doenças raras é criada pelo Ministério da Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*