Coelhinho da Páscoa, o que trazes pra mim?

A Páscoa, para a maioria das pessoas e, principalmente, para as crianças, é produtos de chocolate. Elas – as crianças – não têm culpa pela materialidade em que o ambiente as envolve; somos culpados, como pais, ao impregnar nossos filhos com cestas e mais cestas repletas de ovos, coelhinhos e barras de chocolate, ao invés de educar no verdadeiro sentido que a Páscoa nos proporciona.

Como fugir deste bombardeio comercial, com incríveis estratégias de marketing que nos assolam diuturnamente meses antes da data festiva? Impossível…

Conversei com uma vizinha sobre o esconder do ninho, deixando uma sensação maravilhosa na casa, porque os filhos vão deitar no Sábado de Aleluia, mal esperam o domingo e já estão à caça dos seus ninhos. É lindo e me emociona ver meus filhos assim procedendo.

Por outro lado, tem o real significado da Páscoa com, em cada religião, uma forma diferente de se expressar. Para mim, existe uma única, que é a da imortalidade do espírito. Isto mesmo, imortalidade do espírito; porque morre o corpo, mas ele continua firme, evoluindo e indo na direção do Pai.

O Mestre Jesus deu o maior exemplo ao encarnar na Terra após longo período de preparo. O tempo de adensamento foi longo, haja vista ser a Terra e seus ocupantes matéria muito densa, repleta de pesadas cargas e sentimentos negativos (tem sim boas pessoas, bons pensamentos). Sua vinda fora destinada a elucidar o ser humano da sua própria evolução espiritual. Tentou ensinar procedimentos, condutas e até nova forma de pensar, para que não houvesse maiores sofrimentos em nossas evoluções. Aprender com o erro dos outros custa muito menos.

A morte corporal de Jesus comprova que o corpo é um mero transporte ou invólucro do espírito. Ainda neste planeta, é necessário tê-lo para poder dar continuidade a evolução espiritual; alguns são como se fossem prisão, mas o espírito consciente tem que passar por este processo, esta vida, para dar valor a sua, para responder pelos seus atos (e tudo o que deixou de fazer). Estamos vivendo num mundo de provas e expiações onde a dor nos ensina a ter e fazer amor.

A Páscoa deve estar presente em todos os seres, principalmente no que tange ao seu significado. Claro que podemos presentear aos que amamos com produtos de chocolate, mas jamais podemos esquecer o verdadeiro significado dela: “a vitória real da vida sobre a morte, pela certeza da imortalidade e da reencarnação, porque a vida, em essência, só pode ser conceituada como o amor, calcado nos grandes exemplos da própria existência de Jesus, de amor ao próximo e de valorização da própria vida”.

Feliz Páscoa a todos.

Fonte: Espírita Net

FOTO: reprodução / esoterikha.com

Compartilhar

Natal e 2013

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Blue Captcha Image
Atualizar

*

Turismo
home_central_vertical