vacina
  • Page Views 253

Cinco casos de sarampo são confirmados em Porto Alegre

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) confirmou nesta quarta-feira (13) cinco casos de sarampo em Porto Alegre. O primeiro deles é uma estudante de 25 anos que esteve em Manaus, enquanto os demais são pessoas vinculadas a ela. Estão em investigação outros dois casos, ainda sem confirmação, um em Porto Alegre e outro em Vacaria, de pessoas relacionadas a esses casos. Neste ano, já são seis casos confirmados de sarampo no Rio Grande do Sul. A primeira notificação, em março, foi de criança de um ano de idade, não vacinada, da cidade São Luiz Gonzaga, que se contaminou em viagem à Europa, local onde está ocorrendo um surto da doença.

As Américas foram consideradas livres de sarampo em setembro de 2016, após a ausência da circulação do vírus pelo período de 12 meses. O Brasil já possui 293 casos confirmados da doença, todos considerados importados ou relacionados à importação. Além do RS, a doença está presente em Roraima e Amazonas. Antes de ocorrer o processo de eliminação do vírus do sarampo, o último caso confirmado no estado foi em 1999. Em 2010, houve oito casos importados e em 2011 foram sete. Desde então, o estado não havia registro da circulação do vírus de sarampo.

Vacinação é a forma mais efetiva de se proteger

Qualquer indivíduo que apresentar febre e manchas no corpo acompanhado de tosse, coriza ou conjuntivite deve procurar os serviços de saúde para a investigação diagnóstica, principalmente aqueles que estiveram recentemente em locais com circulação do vírus. Casos suspeitos devem ser informados imediatamente às secretarias municipais de Saúde ou para o Disque Vigilância, pelo número 150.

A mais efetiva forma de prevenção é a vacinação. Para ser considerada vacinada, a pessoa precisa ter o registro em caderneta de vacinação conforme esquema vacinal. A rede pública de saúde tem disponíveis gratuitamente a vacina Tríplice Viral para a população de 12 meses a 49 anos de idade e para profissionais de saúde e demais pessoas envolvidas na assistência à saúde hospitalar.

São considerados vacinados:

– Pessoas de 12 meses a 29 anos que comprovem duas doses de vacina com componente sarampo/caxumba/rubéola;

– Pessoas de 30 a 49 anos que comprovem uma dose de Tríplice Viral;

– Profissionais de saúde independente da idade que comprovem duas doses de Tríplice Viral.

Qualquer dúvida, dirija-se ao posto de saúde mais próximo com sua caderneta de vacinação ou entre em contato com o Disque Vigilância – 150.

Share This Article

Temer sanciona lei que libera saque do PIS/Pasep a todas as idades

Next Story »

Feiras são realocadas no Centro

Leave a comment

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Blue Captcha Image
Atualizar

*

Turismo