Indústria, Comércio e Serviços

Indústria
Novo Hamburgo se desenvolveu economicamente com a indústria do calçado. Este crescimento se deu de forma bastante rápida, o que levou o município a ser reconhecido como a Capital Nacional do Calçado.

Esta característica logo foi incorporada pelas cidades vizinhas, dando início ao chamado setor coureiro-calçadista. Assim, Novo Hamburgo foi tomada por curtumes, indústrias químicas, componentes para calçados, indústrias metalúrgicas e de componentes eletrônicos.

Clique e veja fotos de entidades industriais e comerciais de Novo Hamburgo

No entanto, o avanço industrial que fomenta ainda hoje a economia local não se ateve ao calçado. É possível destacar a relevância do setor plástico e do metal-mecânico para o município ao longo dos anos e cada vez mais.

O maior exemplo que divulga o município nacionalmente é a Feira Nacional do Calçado – Fenac. Em 1963 foi realizada a sua primeira edição no parque de exposições localizados no bairro Ideal. Hoje, a Fenac não é somente uma feira, mas também um Centro de Eventos. Todos os anos, além da tradicional feira calçadista, é realizado no local a Fimec (feira de máquinas para calçados), Courovisão e Ecovisão.

Atualmente, o município vive com ansiedade a chegada de uma revolução industrial, que se forma na expectativa de diversificação que o anúncio de construção do Distrito Industrial proporciona. Novas indústrias, de diferentes seguimentos, devem se instalar em uma área do bairro Canudos, onde hoje ainda está o Aeroclube.

Os novos investimentos irão abrir um leque de atividades ainda maior para Novo Hamburgo, que já conta com indústrias de farmácia, cosméticos, móveis, carrocerias, alimentos, eletrodomésticos, vestuário, gráficas de última geração, informática, química, construção civil, entre outras.

A atividade industrial, comercial e de serviços em Novo Hamburgo conta com a cobertura de associações de classe, além do próprio trabalho da Secretaria Municipal de Indústria, Comércio e Serviços.

Pode ser destacada a atuação da Associação Comercial, Industrial e de Serviços (ACI), da Câmara de Diretores Lojistas (CDL) e do Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas), além da própria Associação de Lojistas do Bourbon NovoShopping.

Exportação
Na área de comércio exterior, o principal produto de exportação de Novo Hamburgo é mesmo o calçado, atividade que vem superando a concorrência do mercado internacional através da qualidade da sua produção, sempre buscando maior valor agregado.

Estima-se que cerca de 80% das exportações brasileiras de calçado saem do Rio Grande do Sul, e que Novo Hamburgo representa o centro dessas operações. Para que todo este sistema funcione e as exportações cresçam, Novo Hamburgo desenvolveu uma completa infra-estrutura para produção, comercialização e negociação de calçados, tendo hoje a maior movimentação de contêineres do Brasil. O volume de exportações do complexo de calçados atinge atualmente em torno dois bilhões de dólares.

Comércio e serviços
Novo Hamburgo é reconhecida hoje como o maior pólo comercial do Vale do Sinos, tendo uma atividade comercial com mais de 5.500 estabelecimentos, incluindo as principais redes de lojas do Estado e do Brasil, como Magazine Luiza, Renner, C&A, Americanas, Casas Bahia, Ponto Frio, Colombo, Delta Sul.

Destaque também para o setor de serviços, que hoje é uma das principais atividades econômicas do Município. A variedade de empresas atuando nesta área é grande, atingindo mais de 7.700 estabelecimentos.

Na área de compras, não há como deixar de ressaltar a força dos quatro hipermercados instalados na cidade: Big/Wal-Mart, Carrefour, Bourbon/Zaffari e Unidão. Destaque também para um dos maiores shoppings centers do Estado, o Bourbon NovoShopping, com cerca de 160 lojas de diversos segmentos, praça de alimentação, espaços de lazer, cinema e exposições.

Para atender toda esta demanda, seja do comércio interno ou do comércio internacional, há em Novo Hamburgo serviços de apoio como agentes de carga, despachantes, corretoras, transportadoras, escritórios de empresas de navegação, agentes de exportação, exportadoras e tradings, sem falar na presença de importantes bancos.

Turismo